Peru: queda de chanceler e medo de ‘golpe’ no 1º mês de Castillo

Não foram necessários nem 30 dias para que o presidente peruano Pedro Castillo sentisse na pele os efeitos de ter vencido a mais polarizada eleição da história do país. Ainda que o novo governo (que, por si só, já foi precedido por uma incomparável crise institucional, contada neste vídeo) complete neste sábado (28) apenas um mês vida, as crises já se amontoam: durante a semana, os ministros escolhidos por Castillo se apresentaram diante do Congresso (dominado pela oposição) para pedir um voto de confiança, no que é considerado o primeiro teste de fogo da nova administração. 

Na prática, os integrantes do gabinete precisavam ser aprovados pelo Legislativo, que, no caso peruano, tem muito mais poder sobre o Executivo, o que inclusive leva o país a destituir presidentes em série, algo impensável até mesmo para os padrões latino-americanos. O novo presidente se recusava a seguir as sugestões dos deputados adversários, o que levou os 19 membros que formam seu governo a uma sabatina diante do Congresso, esperando receber o chamado voto de confiança – que, conforme a lei, deve acontecer em até 30 dias após qualquer nomeação. 

Apesar do pessimismo entre governistas, o voto veio: por 76 a 50, o Congresso avalizou o grupo escolhido por Castillo, dando um inesperado respiro a um governo que teve mais problemas que soluções até aqui. E foi um respiro importante: segundo a Constituição, caso os parlamentares negassem o voto de confiança, Castillo se veria obrigado a nomear outro primeiro-ministro e a reformular todo seu gabinete. O cenário poderia ser ainda pior caso o voto fosse negado duas vezes: a partir daí, como já aconteceu em outras oportunidades, passaria a haver base legal para que o presidente dissolvesse o Congresso unicameral e convocasse novas eleições parlamentares – foi o que aconteceu com o ex-presidente Martín Vizcarra (2018-2020), no que se tornou uma crise ainda maior quando o novo Parlamento respondeu à dissolução da legislatura anterior… afastando o próprio Vizcarra tão logo surgiu uma boa oportunidade (entenda esse outro episódio aqui). 

A fogueira política peruana, no entanto, ainda não baixou. Para tornar tudo ainda mais incerto, ela vem acompanhada de uma queda do PIB de 11% em 2020, além da tragédia humanitária deixada pela pandemia – o país é aquele com mais mortes proporcionais no mundo, e um a cada 170 peruanos pereceu para a covid-19. Além disso, o primeiro mês de Castillo no poder ainda tem números modestos de vacinação para o padrão regional: até aqui, só 23% da população recebeu duas doses, o que deixa o Peru na 13º posição entre os 21 locais que acompanhamos. Mas não é com isso que se preocupam os adversários do governo, que ainda têm outro nome na mira: o do primeiro-ministro Guido Bellido, que agora teve seu gabinete aprovado pelo Congresso. Considerado um dos nomes mais radicais do clã designado pelo líder socialista, Bellido teve a nomeação massivamente contestada por diversos setores do país, incluindo outros ministros mais moderados que ameaçaram desistir de participar do governo por sua causa. 

No auge da controvérsia envolvendo sua nomeação, o engenheiro se tornou alvo de uma investigação por parte do Ministério Público; ele e outros membros do governista Perú Libre são acusados de terrorismo por supostas ligações com a guerrilha Sendero Luminoso, protagonista de massacres nos anos 80 e 90. O próprio Pedro Castillo chegou a ser acusado de relações com o grupo armado, ainda que em tentativas desesperadas dos conservadores de associar o professor ao “perigo comunista”. No caso de Castillo, porém,  a paranoia chegou a passar – ele inclusive fez frente ao Sendero no papel de rondero, uma espécie de vigia rural contra as ações de criminosos e da guerrilha. Mas não é possível dizer o mesmo para outros membros de seu governo. 

Além de Bellido, que a oposição quer tentar arrancar de lá a todo custo, há também Vladimir Cerrón, líder do partido, que precisou dar lugar a Castillo na corrida pela presidência por responder a processos por terrorismo e lavagem de dinheiro. Cerrón, que chegou a ser mantido como vice-presidente da chapa até ser inabilitado pela Justiça Eleitoral, também é criticado por falas machistas e por representar uma ala extremamente antiquada e conservadora da esquerda. Mesmo assim, o episódio que causou mais destaque até aqui foi o de Héctor Béjar, 85, que renunciou no dia 17 após menos de três semanas no cargo de ministro das Relações Exteriores. O sociólogo e ex-guerrilheiro foi substituído por Óscar Maúrtua – um diplomata de carreira sem vínculos com a esquerda armada e que já havia sido chanceler há 15 anos – após dizer em uma entrevista feita antes de sua nomeação que “o terrorismo no Peru foi iniciado pela Marinha” e que o Sendero Luminoso era uma “obra da CIA e de seus serviços de inteligência”. 

A frase serviu de cartucho para boa parte da imprensa local e dos opositores à direita, que esperavam uma brecha para atacar o novo governo. A própria Marinha emitiu um comunicado pedindo que Béjar retificasse sua declaração. Por outro lado, apoiadores de Béjar acusaram jornais de fazer campanha midiática e de tirarem frases de contexto. O ex-chanceler, porém, caiu atirando: em nova entrevista, disse que os tropeços do governo durante o último mês seriam “o início de um golpe brando” em andamento contra a gestão de esquerda. Ainda que, no caso peruano, ao contrário do que se vê no continente, nem seja preciso ostentar ideias à esquerda para o governo balançar.


Com a sua ajuda, acompanhamos a América Latina ainda mais de perto. Participe da nossa campanha de financiamento coletivo e faça o GIRO crescer ainda mais!

Apoie o GIRO!


Un sonido:

DESTAQUES

🇧🇴 Áñez teria tentado suicídio – A ex-presidenta interina Jeanine Áñez, que tomou posse na sequência do golpe boliviano de 2019, passou a semana internada após uma alegada tentativa de suicídio na cadeia onde permanece detida desde março. Áñez está em prisão preventiva por sua participação no golpe, sendo também investigada pelo envolvimento nos massacres de Sacaba e Senkata, quando dezenas de opositores foram mortos, e ainda deve ir parar no banco dos réus com uma acusação de genocídio por esses mesmos episódios, já que os alvos preferenciais da repressão eram manifestantes indígenas. Definindo Áñez como “perseguida política”, a defesa entrou com uma medida cautelar junto à Corte Interamericana de Direitos Humanos e pediu que o Estado boliviano seja pressionado a conceder prisão domiciliar em função de seu estado de saúde. Via EFE.

🇨🇱 Show-teste para vacinados – Chegou a hora do teste: com praticamente 70% da população vacinada com duas doses e os novos contágios em franco declínio (a última semana teve o menor número de casos desde abril de 2020), o Chile realizou na quinta-feira (26) o primeiro de uma série de eventos destinados a avaliar se esse tipo de atividades poderá ser retomada sem causar uma explosão de novos casos. Um grupo de 200 pessoas imunizadas foi autorizado a assistir ao primeiro de três shows da banda Chancho en Piedra, em um local com ventilação especial. Além dos cuidados para garantir a circulação de ar e a prova de vacinação, a plateia também precisou apresentar testes PCR negativos e comparecer de máscara ao recinto. Eles seguirão sendo monitorados e os resultados começam a ser divulgados em setembro. Testes semelhantes já foram realizados na Espanha e na Inglaterra e mostraram que os eventos não espalharam covid. Via Reuters.

🇻🇪 Guaidó desafia Maduro para eleições – As conversas entre governo e oposição da Venezuela, que tiveram início no México em agosto (leia mais no GIRO #94), poderão ter sequência nos próximos meses em solo peruano: o novo chanceler em Lima, Óscar Maúrtua, ofereceu seu país na terça (24) como sede alternativa para os diálogos. A proposta é cheia de simbolismo: a capital peruana também empresta nome ao hoje moribundo Grupo de Lima, organização surgida em 2017 sob forte influência de governos conservadores, que prometia oferecer uma “solução” à crise venezuelana mas se dedicou, sobretudo, a endossar – sem sucesso – as investidas da oposição encabeçada por Juan Guaidó. Durante a semana, aliás, Guaidó voltou à carga e lançou um desafio a Nicolás Maduro: em entrevista à agência AFP, o líder opositor disse que os dois deveriam “abandonar” suas posições atuais (de presidente e de autoproclamado presidente interino) e se enfrentarem diretamente nas urnas. Vale lembrar que, desde janeiro, Guaidó já não tem base legal para ser considerado “presidente encarregado” do país, pois perdeu seu mandato como deputado ao não disputar a reeleição, como parte de um boicote da oposição – a maioria dos países que o consideravam o mandatário legítimo da Venezuela viu-se obrigada a retirar o reconhecimento. Segundo Guaidó, “em uma eleição com confiança e um mínimo de credibilidade, a alternativa democrática venceria por 80% a 20%, por 70% a 30%”. 

🌎 Crises fazem Brasil olhar para vizinhos – A pior crise hídrica em 91 anos deixa o Brasil à mercê de contas de luz cada vez mais caras e sob o espectro de racionamentos e apagões conforme o volume operacional das hidrelétricas vai se reduzindo. Agora, o governo Jair Bolsonaro, que tanto deu as costas para a vizinhança, enxerga em países como Argentina, Bolívia e Uruguai o possível alívio para o drama atual: projetos estacionados, como o gasoduto entre Vaca Muerta, na Argentina, e Uruguaiana, no Rio Grande do Sul, voltam à mesa de discussões – mas sem perspectiva de solução em curto prazo, já que a empreitada exigiria cerca de US$ 4,9 bilhões para sair do papel, segundo as estimativas oficiais. Essa e outras possíveis alternativas em parceria regional, n’O Globo.


Un video:

REGIÃO 🌎

A Suprema Corte dos EUA decidiu, na terça (24), que o governo Joe Biden possivelmente violou as leis federais do país ao tentar interromper a política migratória Remain in Mexico (“permaneça no México”) adotada nos dias de Donald Trump. Na prática, isso significa que as autoridades migratórias estadunidenses poderiam continuar exigindo que os solicitantes de asilo na fronteira fiquem acampados do lado mexicano, em vez de receberem guarida temporária nos EUA até que seus pedidos sejam julgados. A política é impopular entre democratas e vista com reservas pelo México, já que os acampamentos de migrantes se tornaram, na prática, territórios praticamente sem qualquer proteção legal e expostos a toda a sorte de crimes – era comum, por exemplo, que imigrantes à espera fossem sequestrados por gangues locais que exigiam o pagamento de resgates. O México diz que seguirá conversando com Washington para encontrar uma saída e que as decisões sobre migrantes serão tomadas “soberanamente” pelo país. Via AP.

Durante entrevista coletiva na quarta (25), a diretora da Organização Panamericana da Saúde (Opas), Carissa Etienne, voltou a alertar para os riscos da desigualdade na distribuição e aplicação de vacinas contra o coronavírus em território latino-americano. Segundo Etienne, esse cenário “continua sendo o calcanhar de Aquiles” da reação regional à covid-19. A autoridade criticou o fato de que “um punhado de empresas” esteja responsável por produzir as vacinas e que “muitas delas estão permitindo que o preço e o país de origem, não a necessidade, determinem como as doses são distribuídas”. Ainda que vários países, incluindo três latino-americanos, já estejam aplicando terceiras doses de reforço, entidades de saúde ainda divergem sobre essa nova etapa diante de tantos países sem bons números de vacinação. Via Reuters.

A América Latina voltou a registrar seus menores números de casos e mortes por covid-19 em todo o ano de 2021, mantendo a tendência regional de queda observada nos últimos meses. Leia nosso levantamento semanal da situação da pandemia e da vacinação clicado aqui.

ARGENTINA 🇦🇷

Os rumos eleitorais do país estão sobre a mesa: de olho nas eleições legislativas de novembro, o governo do presidente Alberto Fernández aprovou um pacote de medidas para estimular o consumo e equilibrar números que são velhos violões argentinos, como o câmbio e a inflação galopante. A ideia do Executivo é aliviar o bolso da população, afetado por uma crise econômica que só recrudesceu com a pandemia. O enfrentamento à crise também é estratégico: ainda que o eterno problema econômico do país não tenha o carimbo de um ou outro lado do espectro político, a questionável gestão sanitária do peronismo e as recentes polêmicas envolvendo Fernández (saiba mais no GIRO #95) têm alimentado discursos da extrema direita, que já ameaça o histórico bipartidarismo democrático no país, como conta a reportagem de El País.

‘Capi-Marx’ é um nome que já aparece nas redes sociais argentinas ao lado de memes mostrando capivaras com adereços socialistas. Não é à toa: os típicos carpinchos têm protagonizado uma verdadeira luta de classes, expondo o avanço desenfreado de condomínios luxuosos que, cada vez mais, invadem a natureza. A polêmica que virou piada (com um fundo de protesto) se desenrola ao redor do Nordelta, um dos condomínios privativos mais exclusivos da Argentina, ao norte de Buenos Aires. Antes um pantanal na região do delta do Rio Paraná, hoje o local com mais de 40 mil pessoas já altera o hábitat natural, em especial, das capivaras, que avançam para dentro dos jardins de uma high society cada vez mais indignada. Em El País


Un hilo:

BOLÍVIA 🇧🇴

Eva Copa, a prefeita de El Alto, foi expulsa do seu partido Jallalla, acusada de “traição” ao programa que havia se comprometido a cumprir em dezembro. Copa, uma dissidente do Movimento ao Socialismo (MAS) de Evo Morales e do atual presidente Luis Arce, vinha se consolidando como uma das principais lideranças à esquerda fora do partido hegemônico, fato reafirmado pela sua vitória nas eleições municipais de março – El Alto, na região metropolitana de La Paz, era um importante reduto masista. Leopoldo Chui, o líder local do Jallalla, acusa Eva Copa de não ter se reunido com representantes da sigla, apesar de “mais de 50 pedidos” para coordenar a tomada de decisões em conjunto. Em Los Tiempos.

CHILE 🇨🇱

Um velho escândalo de corrupção envolvendo o ex-ditador Augusto Pinochet (1973-1990), morto em 2006, voltou a ter desdobrametos na segunda-feira (23): após a Justiça espanhola, que está investigando o caso, reabrir o processo, foi a vez de sua equivalente chilena dar prosseguimento às investigações para determinar se o Banco do Chile ajudou o velho general a lavar dinheiro na virada do século. A investigação é um desdobramento do chamado Caso Riggs, escândalo que veio à tona em 2004, revelando que Pinochet havia desviado verbas públicas e escondido o dinheiro sob pseudônimos no hoje extinto Riggs Bank, dos EUA. De acordo com as investigações, o ditador teria roubado pelo menos US$ 17 milhões em contratos fraudulentos e outras chicanas que beneficiaram a si mesmo e a familiares. Na DW.

COLÔMBIA 🇨🇴

Nem maestro, nem maestra: ‘maestre’. É isso que Johnajohn Campo, 39, queria ler em seu diploma de artes plásticas, curso feito na Instituição Universitária del Valle, em Cali. Além da conquista pessoal, a autorização dada a Johnajohn entra para a história: é a primeira pessoa não-binária da Colômbia a obter um título universitário, justamente na cidade que tem se tomado a dianteira em avanços nos direitos civis: foi na terceira maior cidade do país que também avançou, por exemplo, o casamento entre pessoas do mesmo sexo. Para a ativista e agora maestre, “Cali é a capital da resistência. Obviamente, é uma cidade em que existe violência estrutural contra pessoas de diversos grupos, mas também há uma consciência social e política”. Na Prensa

Foi assassinado na cidade de Popayán, um dos vários focos dos recentes protestos no país, o líder estudantil Esteban Mosquera. Defensor do ensino gratuito para universitários e também partidário de um plano de renda básica para pessoas carantes, Mosquera já havia perdido um olho por conta da (conhecida) ação violenta da polícia, em 2018. Testemunhas disseram que a liderança social foi morta a tiros por dois homens que passavam em uma moto. A Comissão Interamericana de Direitos Humanos (CIDH) cobrou investigações ao governo da Colômbia, enquanto o presidente Iván Duque ofereceu uma recompensa de US$ 13 mil por informações que levem aos assassinos. Apesar de uma recente queda no número de assassinatos de lideranças sociais e ativistas, o país segue ostentando o triste título de lugar mais inseguro para esses grupos: segundo o Indepaz, foram 108 mortos só este ano. Na teleSUR

COSTA RICA 🇨🇷

O bicho-preguiça, chamado em espanhol de perezoso (literalmente, “preguiçoso”), é o mais novo animal-símbolo da Costa Rica. Segundo o governo, a escolha tem a ver com as metas de desenvolvimento sustentável estabelecidas pelo país. “O simpático e pacífico animal é uma referência internacional de proteção animal”, explicou o presidente Carlos Alvarado. É o quarto bicho da fauna costa-riquenha a ser considerado um símbolo nacional, depois do pássaro yigüirro, do veado-de-cauda-branca, e do peixe-boi. Via EFE.

O país reformou, pela segunda vez apenas em 2021, sua lei de feminicídio. A legislação, que antes só punia o homem que era parte do casal, agora também abrange aqueles que se aproveitaram de uma relação de amizade ou confiança para matar a mulher. O “feminicídio ampliado” terá uma pena de 20 a 35 anos de prisão. A outra mudança na lei ocorrida neste ano, em março, já havia ampliado a definição de feminicídio para as mortes cometidas por ex-maridos, ex-noivos e ex-namorados das vítimas. Nesses casos, assim como naqueles cometidos pelos atuais companheiros (os únicos contemplados pela lei original, a pena chega a 50 anos. No Economista.

CUBA 🇨🇺

As jornadas de protesto que começaram em 11/7 tiveram um componente importante na mobilização popular: as redes sociais. E hoje elas voltam ao centro do debate, à medida que o governo cubano avança com medidas legais que restringem o (já limitado) acesso às redes, acusando de “ciberterrorismo” aqueles que usarem as mídias sociais para convocar manifestações. Diante de uma possibilidade de fazer política em cima de mais uma crise cubana, os EUA, por meio de Joe Biden, lançaram promessas de “restaurar” a conexão na ilha, seja garantindo redes privadas de acesso ou até mesmo mudando políticas de distribuição de rede via satélite, no limite com torres flutuantes sobre Cuba para garantir internet à população. A promessa, porém, é considerada pouco realista e principalmente parte de uma retórica contra as respostas de Havana às manifestações. Na BBC.


Una palabra:

Yanapay – nome dado pelo governo de Pedro Castillo ao novo bônus financeiro destinado a famílias peruanas (saiba mais na seção do país), é um verbo na língua quéchua, dialeto oficial no país, que significa “ajudar” ou “favorecer”. Além de designar uma ação, o termo é sinônimo de “solidariedade humana”, ou mesmo “fraternidade”, e tem aparecido bastante em ações sociais ou mesmo nomeando ONGs durante a pandemia. Por ter significado amplo, também aparece na variação Yanapakuy, que significa, na tradução literal, “mãos que ajudam”. 


EL SALVADOR 🇸🇻

O jornal investigativo El Faro novamente traz evidências de que o governo do presidente Nayib Bukele, que vem perseguindo o veículo, negociou por baixo dos panos com as três principais pandillas do país dentro de presídios de segurança máxima. As tratativas clandestinas, segundo a nova etapa de investigação e de forma similar ao que foi divulgado no GIRO #46, tinham como objetivo manter a redução histórica na violência urbana, o que se tornou um dos pilares da popularidade de Bukele. Em troca, uma série de concessões teriam sido feitas a membros da Mara Salvatrucha-13, Barrio 18 Revolucionarios e Barrio 18 Sureños, incluindo melhorias na condição prisional e outros benefícios aos pandilleros fora da cadeia. A nova reportagem contou com a colaboração de um ex-funcionário do governo, que reuniu áudios, fotografias e depoimentos que comprovariam o contato entre Bukele e as gangues, consideradas organizações terroristas segundo a lei salvadorenha. A denúncia é ainda mais grave porque Bukele se elegeu, precisamente, acusando os antecessores de negociar com as gangues na tentativa de conter o avanço da criminalidade – e garantia que faria diferente.

Hebert Aceituno, de 35 anos e 1,33 metro de altura, converteu-se no maior gigante do esporte salvadorenho: na noite de quinta (26), horário de San Salvador, o halterofilista garantiu a medalha de bronze nos Jogos Paralímpicos que acontecem em Tóquio – a primeira vez na história que El Salvador colocou um competidor em um pódio olímpico ou paralímpico. Aceituno, que nasceu com acondroplasia e hidrocefalia, o que limitou seu crescimento, garantiu a histórica medalha na categoria para atletas com até 59 quilos. Neste fio do Twitter, o GIRO está acompanhando, dia a dia, todas as conquistas latino-americanas nas Paralimpíadas, que começaram nesta semana e seguem até 5/9. No Cancha.

EQUADOR 🇪🇨

O diretor antinarcóticos da polícia garantiu que dois cartéis mexicanos operam em solo equatoriano, sendo um deles há mais de uma década. Ao passo que autoridades tentam conter o avanço do narco, o comando da Força Aérea Equatoriana afirmou que, durante o primeiro semestre de 2020, foram apreendidas 45 toneladas de drogas, número que saltou para 93 toneladas no mesmo período deste ano. Segundo a polícia, há “provas de que o Cartel de Sinaloa realizou operações” entre 2009 e 2020, bem como ascendente Jalisco Nueva Generación (CJNG). A força-tarefa prometeu intensificar esforços contra o avanço dos poderosos grupos mexicanos, especialmente nas regiões de fronteira, já que são “organizações que têm um poder econômico que o Estado não tem”, diz Quito. Via AP.

GUATEMALA 🇬🇹

Um arrefecimento da crise, ao menos por enquanto. Após semanas de protestos em nível nacional contra o governo (saiba mais no GIRO #92) , o Congresso revogou, na terça (24), o estado de calamidade determinado pelo presidente Alejandro Giammattei, principal alvo das passeatas, que veio sob o pretexto de conter o avanço do coronavírus — mas que foi visto pela oposição e pela população como uma forma oportunista de cortar o avanço das manifestações. O decreto de 13/8 foi revertido por 103 votos a 54, e considerado “uma grande vitória para o povo da Guatemala”, segundo a bancada opositora. De acordo com Samuel Pérez, deputado de centro-esquerda, “nosso voto foi a favor de enterrar este estado de calamidade, que também tinha objetivos de impor uma ditadura da corrupção”. Na teleSUR

Brasileiros migrantes. É o que relata a polícia guatemalteca, que encontrou pessoas de nacionalidade brasileira entre 41 migrantes (que incluíam também chilenos e haitianos) em uma casa, na periferia da capital do país. O grupo supostamente tentava chegar aos EUA, principal destino dos que se arriscam pela América Central até chegar às fronteiras norte-americanas. Sem especificar o número de pessoas de cada nacionalidade, a polícia disse que todos serão encaminhados a autoridades migratórias para dar início ao processo de deportação, já que são pessoas com permanência “irregular”. No Heraldo

HAITI 🇭🇹

O Papa Francisco enviou mais de 350 mil euros em fundos de caridade de forma emergencial ao Haiti, que ainda se recupera de um conglomerado de crises humanitárias (que só pioraram após o terremoto de magnitude 7,2, que matou mais de 2 mil pessoas durante o mês de agosto). Segundo o Vaticano, as “contribuições iniciais” serão administradas pela representação da Santa Sé em Porto Príncipe. Grande parte do dinheiro vem de um fundo alimentado por devotos católicos e cujo valor chegou a 50 milhões de euros em 2020. Além das crises em si, os problemas logísticos na distribuição de mantimentos (incluindo saques) têm feito a crise haitiana se aprofundar. Em El País

Um novo juiz foi designado para lidar com o caso do assassinato do presidente Jovenel Moïse, ocorrido em 7/7. Garry Orélien passa a ser o responsável por um caso cujas investigações vêm avançando pouco, ainda sem qualquer pista concreta dos responsáveis por contratar os mercenários estrangeiros que executaram o mandatário – há suspeitas, inclusive, de que ex-integrantes do governo pudessem estar envolvidos com o crime. O caso é envolto em suspeitas de intimidação, e a nomeação de Orélien vem após o juiz anterior do caso, Mathieu Chanlatte, alegar que estava se afastando por “questões pessoais” (veja mais em Un video), logo após um de seus assessores aparecer morto em circunstâncias mal explicadas. Via AP.

HONDURAS 🇭🇳

Com ligeiro avanço na vacinação, chegado a 10% de cidadãos totalmente vacinados até aqui (ainda um dos piores índices do continente), o país se depara com algumas boas notícias: segundo o Banco Central de Honduras (BCH), os setores de bens e serviços mostraram sinais de recuperação pelo quarto mês consecutivo, crescendo 12,4% entre janeiro e  junho de 2021, no comparativo com o mesmo período em 2020. O anúncio do BCH veio próximo à confirmação do Banco Centro-americano de Integração Econômica sobre um aporte de US$ 5,8 milhões para a compra de 4,4 milhões de doses da vacina para o sistema de saúde hondurenho. Segundo o presidente executivo do BCIE, Dante Mossi, a nova compra resultará na imunização de 30% do público-alvo. O novo lote se soma a um carregamento de 100 mil unidades do imunizante doado pela Espanha. Via EFE


Un clic:
A semana teve mobilizações históricas dos povos origiários do continente pela defesa de seus territórios ancestrais no Brasil. A decisão sobre o chamado Marco Temporal em torno da demarcação de terras, que mobilizou milhares de indígenas, acabou adiada pelo STF.

MÉXICO 🇲🇽

Diante de uma onda migratória, o governo vai novamente exigir visto de entrada a equatorianos, revertendo uma medida de 2018 que desobrigava a autorização. Segundo números oficiais, apenas um em cada três cidadãos do Equador que chegam ao México alegando motivos turísticos acaba voltando para o país andino, estatística que só cresceu após o afrouxamento de três anos atrás. O governo em Quito reconheceu a decisão de seu par mexicano, fazendo a ressalva de que haveria um “elevado número de vítimas de máfias que utilizam este mecanismo [de ida ao México] com o intuito de os transferir de forma irregular para os EUA”. A decisão entrou na pauta da conversa entre os presidentes dos dois países, em visita do equatoriano Guillermo Lasso ao México durante a semana. Em El País.

O México começou a receber os primeiros refugiados afegãos (leia no GIRO #95 sobre os movimentos dos países latino-americanos para acolhê-los) ao longo da semana. Na terça (24), um grupo de quatro mulheres e um homem abriu caminho para os voos vindos do país agora dominado outra vez pelo Talibã. Na sequência, outras chegadas de impacto: o México foi o destino de cinco integrantes da equipe feminina de robótica do Afeganistão, que havia mobilizado grande solidariedade internacional nos dias anteriores, além de mais de uma centena de jornalistas que fugiram da repressão já instaurada no país desde a queda da capital Cabul. Via Reuters.

NICARÁGUA 🇳🇮

Mais investidas do governo contra a oposição: na terça (24), a cúpula de Daniel Ortega acusou três filhos da ex-presidenta Violeta Chamorro (1990-1997) de lavagem de dinheiro, entre outros delitos. Um dos nomes é o do conhecido jornalista Carlos Chamorro, diretor do veículo El Confiencial, um dos meios que se tornaram alvos de busca da polícia orteguista sob acusações jamais comprovadas de uma série de crimes. Por conta dos últimos ataques à imprensa, Carlos se exilou na vizinha Costa Rica, de onde ainda denuncia os abusos do poder sandinista. Além dele, há também Cristiana Chamorro, em prisão domiciliar desde junho, e o político opositor Pedro Joaquín Chamorro, detido na mesma época. Na quinta (26), outras 15 ONGs foram fechadas pelo govero com acusações que vão desde traição até lavagem de dinheiro, subindo para 45 o total de organizações opositoras cujas atividades foram forçosamente encerradas no último mês. Na Prensa

Um ataque na reserva nacional de Bosawás, na fronteira com Honduras, matou ao menos 12 indígenas dos povos miskito e mayangna, segundo denunciaram grupos ativistas e organizações de direitos humanos. A região é palco de um histórico conflito entre os nativos e garimpeiros e madeireiros ilegais. Apesar de ser uma reserva protegida, os povos que habitam a região denunciam que o governo de Daniel Ortega nada faz para protegê-los da rapinagem dos invasores. Via AP.

PANAMÁ 🇵🇦

Com Argentina, Brasil, Colômbia, Equador, Paraguai e Venezuela ainda entre os países classificados como de “alto risco”, autoridades panamenhas atualizaram as regras de entrada para turistas, endurecendo os requisitos para os vizinhos citados. Passageiros desses locais devem comprovar reserva para o local de quarentena e realizar testes de covid-19 pagos às próprias custas. Só estarão isentos dos últimos dois protocolos aqueles com esquema vacinal com mais 14 dias após a segunda dose. No Panrotas

PARAGUAI 🇵🇾

Foi preso em Ciudad del Este, a pedido dos EUA, na terça (24), Kassem Hijazi, comerciante brasileiro de ascendência libanesa acusado de transferir milhões de dólares do tráfico de drogas. Segundo o Ministério Público paraguaio, a detenção “com fins de extradição” também tem relação com crimes de lavagem de dinheiro envolvendo uma quantia superior a US$ 1,6 bilhão. Washington, que agora aguarda o trâmite de extradição, classifica Hijazi como “suposto chefe de uma organização criminosa”. No ABC Color

PERU 🇵🇪

Após um início cambaleante – que contou com a renúncia precoce de um chanceler após falas polêmicas (saiba mais no GIRO #95 e na abertura desta edição) – o presidente Pedro Castillo acena às classes baixas para colocar seu governo nos eixos. A nova administração em Lima vai destinar o equivalente a mais de R$ 6,5 bilhões de reais em subsídios a cidadãos com renda familiar inferior a R$ 4 mil, segundo a ministra da Inclusão e Desenvolvimento Social, Dina Boluarte. A medida de nome Yanapay (saiba o significado em Una palabra), além de popular neste momento de afirmação, vem enquanto a moeda local se vê na pior cotação histórica frente ao dólar (mais de 4 soles peruanos para 1 dólar). Com a desvalorização cambial, itens da cesta básica de consumo, sobretudo importados, têm sentido a alta da inflação, que já vem crescendo desde a queda de 11% no PIB em 2020. Em El País

PORTO RICO 🇵🇷

A ilha sediou, nesta semana, o Fórum Econômico de Mulheres (WEF, em inglês) na versão Caribe, focado em buscar estratégias para melhorar as condições socioeconômicas das mulheres na região e reduzir o abismo salarial em relação aos homens. O evento foi realizado de forma virtual e teve a participação de governos caribenhos, entidades públicas e privadas, representantes de universidades, redes de apoio e mais de 200 palestrantes. A agenda do encontro incluiu temas como liderança e empoderamento feminino, o papel da mulher caribenha na economia, ciência e políticas públicas, inovação, tecnologia, saúde e bem-estar, entre outros. Via EFE.

REPÚBLICA DOMINICANA 🇩🇴

A peste suína africana (PSA) segue dando o que falar no Caribe. Após o Ministério da Agricultura confirmar que mais de 30 mil animais já foram abatidos como medida de contenção nas 14 províncias que reportaram casos do vírus, entrou em cena uma medida de repasse financeiro do Estado para mitigar os abalos do setor. Até aqui, tanto a pasta quanto o Banco Agrícola do país já entregaram mais de 21 milhões de pesos (pouco menos de R$ 2 milhões) a 153 suinocultores dominicanos. O apoio representa um terço do orçamento do chamado Plano de Contingência para a Erradicação da Peste Suína Africana, cujo impacto o governo espera sentir até o final de 2021. Por conta da peste, muitos países da região têm mantido protocolos sanitários de circulação para evitar que a doença se prolifere. Durante a semana, nos esforços para identificar mais rapidamente os surtos pelo país, a República Dominicana recebeu um equipamento que promete detectar a presença da PSA em apenas uma hora e meia. A PSA não é transmissível para humanos, mas devasta as criações de porcos onde se espalha. No Acento

URUGUAI 🇺🇾

Troca de ministro, mas dessa vez não da Saúde: Germán Cardoso renunciou à chefia do Ministério do Turismo na sexta passada (20) em meio a um escândalo de irregularidades em contratos de publicidade sem licitação. A denúncia foi feita pelo jornal local Búsqueda e envolvia, por exemplo, a tentativa de contratação direta da empresa Netcom pelo valor de 37,7 milhões de pesos uruguaios (R$ 4,6 milhões). O acordo teria validade de um ano e garantiria espaço para anúncios em outdoors em diversos pontos do país. Após a derrocada de Cardoso, quem assumiu a pasta foi o senador Tabaré Viera, do Partido Colorado, que já colocou em marcha o plano do governo de Luis Lacalle Pou para reabrir as fronteiras: nesta primeira fase que começa a partir de 1º/9, será autorizada a entrada dos estrangeiros que sejam proprietários de imóveis no país, estejam imunizados com pelo menos duas doses da vacina contra a covid-19 e apresentem um teste PCR negativo. Quem viaja com menores de idade não vacinados terá de permanecer em quarentena familiar. No Infobae.

VENEZUELA 🇻🇪

Pelo menos 20 morreram e outras dezenas seguem desaparecidos após fortes enchentes causadas por chuvas torrenciais no estado de Mérida. Só na cidade de Tovar a polícia confirmou ter encontrado 11 corpos. A localidade se junta aos municípios de Pinto Salinas e Sucre, as mais afetadas pela nova crise climática. Além de causar mortes, as chuvas destruíram redes elétricas, deixando vários venezuelanos sem energia. O presidente Nicolás Maduro culpou as mudanças climáticas, dizendo que, em 2021, choveu 65% a mais do que em outros anos. Mais de 8 mil casas foram destruídas, afetando mais de 54 mil pessoas, segundo o ministro do Interior e da Justiça, Remigio Ceballos. Via Reuters


Gostou do nosso conteúdo? Com o seu apoio, podemos construir juntos um GIRO ainda melhor e mais completo. Faça parte!

Apoie o GIRO!


Também estamos no Twitter, Instagram, YouTube e em Podcast.