Bolívia: golpistas buscaram mercenários para manter poder

Peru: com 100% apurado, Castillo vence, mas ainda não levou a Presidência | Continua perseguição política na Nicarágua | Chile cria feriado honrando povos originários | Copa América: 82 casos de covid

Uma série de áudios atribuídos ao ex-ministro de Defesa boliviano, Luis Fernando López, deram um novo capítulo à trama golpista na nação andina. Reveladas pelo Intercept, as gravações de conversas e chamadas telefônicas dão conta de um plano para sabotar o reconhecimento da vitória eleitoral de Luis Arce em outubro de 2020, envolvendo até mesmo a possível contratação de mercenários estadunidenses que atuariam ao lado das Forças Armadas da Bolívia. Na prática, o objetivo da mobilização seria uma espécie de “segundo golpe” que evitasse a posse do esquerdista, eleito ainda em 1º turno com 55% dos votos, no que acabou virando a retomada democrática após a deposição de Evo Morales em 2019. Como conta a matéria, a história poderia não ter terminado ali.

Nos áudios, López diz que está “trabalhando para evitar a aniquilação do país”, em referência ao retorno do Movimento ao Socialismo (MAS) ao poder. Em 2019, uma nova reeleição de Evo havia sido impedida por mobilizações impulsionadas pela ultradireita boliviana, com base em acusações jamais comprovadas de fraude, mas endossadas na ocasião pela Organização dos Estados Americanos (OEA). O resultado foi a posse da interina Jeanine Áñez, mas, muito longe do que os golpistas pretendiam ao assumir o poder, o que se viu no ano seguinte não foi um enfraquecimento do MAS: diante de sucessivos adiamentos das eleições por conta da pandemia e do temor de que o governo interino se valesse da crise sanitária para se perpetuar indefinidamente no poder, a militância masista foi às ruas e garantiu a realização do pleito de forma triunfal: quando chegou a hora, o partido viu Luis Arce fazer até mesmo mais votos do que o próprio Evo Morales um ano antes – desta vez, sem qualquer acusação de fraude.

Foi na sequência desse fracasso eleitoral da direita que a suposta trama conduzida pelo então ministro da Defesa teve lugar. Na mais longa conversa vazada, o ex-ministro parece estar dialogando com o ex-assessor civil do Exército dos EUA, Joe Pereira, que afirmava ter como recrutar até “10 mil” mercenários entre os militares veteranos – uma empreitada ainda maior do que a invasão frustrada na Venezuela para tentar derrubar Nicolás Maduro, em maio de 2020. No áudio, López diz que “o alto comando militar já está em conversas preliminares” para impedir a volta do MAS. A história completa, em português, pode ser lida aqui. A matéria inclui os áudios originais das conversas.  

A investida, porém, parece ter caído por terra em um cenário de divisão interna entre os próprios militares e ministros de Áñez, além da margem incontestável da vitória de Arce, prontamente reconhecida dentro e fora do país na época. Desde então, vários membros do governo interino vêm se complicando com a Justiça, seja por envolvimento no golpe ou sob acusações de corrupção: Jeanine Áñez foi presa dentro do país, enquanto seu braço-direito, o ex-ministro de Governo Arturo Murillo, acabou detido nos EUA. O próprio Luis Fernando López, provavelmente temendo represálias após sua tentativa de “golpe dentro do golpe”, fugiu da Bolívia poucos dias antes de Arce tomar posse, em novembro – segundo as autoridades em La Paz, ele se encontra no Brasil. Enquanto a trama segue com antigos capítulos revelados, o atual governo tenta virar a página do golpe de vez, pedindo a extradição de López para que seja julgado em um tribunal boliviano.


Se você acredita na importância de nosso trabalho, considere tornar-se um apoiador do GIRO. Com a sua ajuda, podemos acompanhar a América Latina ainda mais de perto.

Apoie o GIRO!


Un sonido:

DESTAQUES

🇵🇪 Castillo venceu, mas ainda não levou – A apuração terminou, a eleição não: mesmo com 100% das atas já contabilizadas e com mais de 40 mil votos de vantagem a favor do socialista Pedro Castillo, o imbróglio eleitoral peruano segue. Novamente derrotada por uma estreita margem, Keiko Fujimori tenta de todas as formas virar o jogo nos tribunais, ainda que suas denúncias de “fraude” sequer tenham comprovação. O “golpe legal” de Keiko vai muito além de uma tentativa furada de evitar sua terceira derrota em eleições presidenciais: especula-se que a conservadora também tente evitar ser presa novamente, visto que não muito depois do pleito de 6/6 o Ministério Público pediu sua detenção imediata por violar os termos de sua liberdade condicional (ela é investigada por lavagem de dinheiro em campanhas anteriores). A tão esperada homologação de Castillo, no entanto, apesar das promessas de órgãos eleitorais de uma rápida resolução, segue faltando. O voto apertado não é a única polêmica das eleições: com forte discurso anticomunista para atacar Castillo (que chegou a dizer recentemente que o rótulo não procede), até mesmo o escritor Mario Vargas Llosa, antes um rival do fujimorismo, comprou a briga a favor de Keiko. Após as últimas tentativas dos derrotados de reverter o resultado, Vargas Llosa chegou a receber uma ligação do presidente Francisco Sagasti, que pediu para o Nobel ajudar na “pacificação dos ânimos divididos”.

🌎 82 contaminados na Copa América – Um alerta: a Organização Pan-Americana da Saúde (Opas) destacou a incidência de casos de covid-19 pela região, pedindo “medidas mais rígidas” para conter a disseminação do vírus em locais de alta transmissão. Mencionando que quase todos os países relataram aumentos recentes, a diretora da organização, Carissa Etienne, reforçou a necessidade de medidas de saúde pública em locais com alta transmissão. “Esta é a forma mais eficaz de reduzir os casos até que tenhamos vacinas suficientes para todos”, disse. Mas, não é o que tem acontecido, e a Copa América realizada no Brasil é exemplo: durante a semana, casos de covid-19 relacionados diretamente ao torneio chegaram a 82, e a competição mal completou sua segunda rodada. Marcelo Moreno, atacante da Seleção Boliviana que está quarentenado por testar positivo, chegou a criticar a negligência da Confederação Sul-Americana de Futebol: “a vida do jogador não vale nada?” Em resposta, a entidade decidiu suspender Moreno por uma partida, por violação dos “princípios de conduta”. Enquanto isso, a América Latina chegou à quinta semana consecutiva registrando mais de 1 milhão de contágios em sete dias, ficando outra vez acima das 28 mil mortes semanais. Leia nosso levantamento semanal completo clicando aqui.

🇨🇱 Novo feriado honra povos originários – A próxima segunda (21) será feriado no Chile, mas o país só ficou sabendo disso nesta semana: um voto às pressas garantiu a criação do Dia dos Povos Originários no país, com “data móvel” – marcado oficialmente para ocorrer a cada 24/6, ele pode ser alterado para fazer finais de semana prolongados, como ocorrerá agora. A medida, que pegou muitos de surpresa e obrigou o governo a fazer ajustes, tinha como objetivo substituir definitivamente o feriado de 12/10, que surgiu para celebrar a chegada de Cristóvão Colombo às Américas e se tornou uma data cada vez mais controversa nas últimas décadas em função do genocídio indígena promovido pelos invasores europeus. Por enquanto, contudo, o fim do feriado de outubro está vetado, e os dois deverão coexistir. A data para celebrar os povos originários foi escolhida para coincidir com o We Tripantu, o ano-novo mapuche, que ocorre na época do Solstício de Inverno. Na T13.

🇳🇮 Prisões de opositores não param – O governo de Daniel Ortega segue com as prisões arbitrárias. Na terça-feira (15), o alvo escolhido foi o empresário Luis Rivas Anduray, presidente do Banco da Produção (Banpro), o maior da Nicarágua. Assim como outros oposicionistas detidos, o banqueiro foi acusado de incitar a ingerência externa, pedir intervenções militares e receber financiamento estrangeiro para executar atos de terrorismo. Além disso, a justiça oficialista determinou a quebra do sigilo bancário e o congelamento das contas de Anduray e de outros 12 executivos e empresários que fazem parte da Fundação Nicaraguense para o Desenvolvimento Econômico e Social (Funides), um think-tank que publica análises sobre a situação econômica do país. De acordo com o Ministério Público, a Funides teria violado a Lei de Agentes Estrangeiros, que barra o financiamento internacional de entidades da sociedade civil. Nesta sexta-feira (18), a Comissão Interamericana de Direitos Humanos (CIDH) fez coro ao pedido da ONU para que o governo de Ortega soltasse imediatamente os presos políticos, uma lista que inclui quatro presidenciáveis de oposição e até ex-aliados sandinistas. Na CNN.

🇨🇴 Carro-bomba – Os dias de violência seguem a pino: na terça (15), a explosão de um carro-bomba em um batalhão do Exército, na cidade de Cúcuta, deixou ao menos 50 feridos, relembrando um caso similar em 2019 que deixou mais de 20 mortos na capital. Na oportunidade, o ato terrorista foi reivindicado pelo Exército de Libertação Nacional (ELN) – guerrilha que tem sido usada como bode expiatório do governo ao tratar do aumento da violência nos últimos anos. Dessa vez, ainda que o grupo tenha negado relações com o ato, o presidente Iván Duque chegou a dizer que haveria uma “provável” relação entre o ELN e o novo ataque. Duque cobrou investigações ao Ministério da Defesa. Na CNN.  


Un video:

MAIS NOTÍCIAS

REGIÃO 🌎

“Como seria se os EUA fossem vistos pelo resto do mundo interferindo diretamente nas eleições de outros países?”, perguntou o presidente Joe Biden, como se isso já não acontecesse. Após a declaração (dirigida à Rússia, por conta da interferência no pleito estadunidense de 2016), que rapidamente virou piada nas redes sociais, muitos internautas resgataram o longo histórico de ingerência promovida por Washington ao redor do mundo, em especial na América Latina, como este GIRO já noticiou e relembrou diversas vezes. É como costumam brincar: nos EUA não tem golpe porque lá não tem embaixada dos EUA. No The Hill (vale ler as respostas ao tuíte). 

ARGENTINA 🇦🇷

Pecuaristas argentinos entraram em acordo com o governo de Alberto Fernández para retomar as exportações e o abastecimento do mercado interno, após um mês de bloqueios. Atualmente um dos cinco maiores produtores e exportadores de carne bovina, o país tinha suspendido as exportações na metade de maio. Segundo o governo, a medida buscava conter a alta do preço do produto, que subiu quase 70%, mas o resultado foi outro: os frigoríficos paralisaram as vendas nacionais como forma de retaliação. Agora, o acerto entre autoridades de ruralistas prevê a liberação de aproximadamente 50% das exportações bovinas até o fim de julho e a volta do produto nos supermercados argentinos. No Página 12.

CHILE 🇨🇱

O segundo turno das eleições regionais, definido no último domingo (13), confirmou a virada à esquerda do Chile já registrada durante o primeiro turno, celebrado em paralelo à formação da Assembleia Constituinte. Em 10 das 16 regiões do país a centro-esquerda e a esquerda farão governo, conquistando também um poder inédito: é a primeira vez que os chilenos votam para governadores regionais, que até aqui eram nomeados ao gosto do presidente. Apesar de confirmar a tendência do momento, o segundo turno foi marcado por uma altíssima abstenção: apenas 19,6% dos eleitores habilitados compareceram às urnas. A não obrigatoriedade do voto, a pandemia e as dúvidas sobre as funções e a importância do novo cargo foram apontados como causas para a participação mínima. Via EFE.

COSTA RICA 🇨🇷

Uma megaoperação anticorrupção foi levada a cabo na segunda-feira (14), com 57 operações de busca e apreensão simultâneas em residências particulares e prédios públicos, incluindo a Casa Presidencial. Ao menos dois empresários do setor de construção foram detidos pelas autoridades, que denunciam a existência de uma rede de subornos para realização de obras. As autoridades também foram atrás de Camilo Saldarriaga, um dos assessores mais próximos do presidente Carlos Alvarado até a explosão do escândalo. Saldarriaga acabou renunciando ao cargo. De acordo com a Procuradoria, o esquema pode ter movimentado 78 bilhões de colones (R$ 631 milhões) entre 2018 e 2020. Alvarado, que neste momento não aparece como investigado, anunciou que vai intervir no Conavi, órgão responsável pela construção e manutenção de vias públicas, envolvido no caso. Na DW.

CUBA 🇨🇺

A ilha já aplicou 4,3 milhões de doses, mesmo que seus imunizantes em uso ainda não tenham sido formalmente aprovados para uso massivo (na época, autoridades sanitárias afirmaram que os benefícios de antecipar a campanha superavam em muito os eventuais perigos de uma vacina menos eficaz). Agora, ao menos de acordo com os dados oficiais, vem a esperança de que elas poderão ajudar a conter o avanço da pandemia no país: na capital Havana, onde o processo está mais adiantado, o ritmo dos contágios caiu pela metade desde o início da campanha, enquanto eles seguiram subindo no restante do país, que vacinou muito menos (na última semana, o todo da ilha voltou a registrar recorde de contágios, superando pela primeira vez a marca de 10 mil novos casos em sete dias). Cuba vem apostando suas fichas em vacinas totalmente produzidas em casa, e a inoculação massiva está sendo feita com a Soberana 2 e a Abdala, as que atingiram a última fase de testes. Cerca de 6,5% da população da ilha já recebeu as três doses necessárias para completar o esquema vacinal. Via Reuters.

O governo afirma que o embargo e as sanções impostos pelos EUA causaram à ilha perdas econômicas de US$ 9,157 bilhões em 2020, o valor mais alto já divulgado desse dado. Em 2019, por exemplo, as perdas estimadas eram de US$ 5,570 bilhões. De acordo com a chancelaria cubana, o prejuízo acumulado desde o início das sanções, em 1962, beira os US$ 150 bilhões. O cálculo é divulgado anualmente e faz parte dos repetidos pedidos junto à ONU para que o embargo tenha fim, levando a resoluções – sem efeito prático e ignoradas pelos EUA – que costumam ter respaldo majoritário aos anseios cubanos. Via EFE.


Páginas de um rio:

Agora que ando como que perdido pela cidade, ele me acompanha de um modo semelhante ao de então. E tampouco agora sei para onde vamos. Ele me ensinou muitas coisas, mas são justamente essas em cujo fundo há algo mais, que não se consegue ver…

A sétima entrega da série que recupera a obra de escritores platinos através de traduções inéditas de Iuri Müller chega hoje ao uruguaio José Pedro Díaz (1921-2006) e os três capítulos iniciais de sua novela Los fuegos de San Telmo (1964). Clique aqui para lê-los, pela primeira vez em língua portuguesa.

EL SALVADOR 🇸🇻

A sarna que o presidente Nayib Bukele arrumou para se coçar após destituir toda a Corte Suprema do país (saiba mais neste vídeo) não vem só de dentro de casa: visivelmente “preocupados” com a situação democrática salvadorenha, como costuma ser com ou sem motivos desde sempre, os EUA criticaram a situação de “fragilidade democrática” dos latinos, durante uma visita de autoridades da Agência dos EUA para o Desenvolvimento Internacional (USAID, em inglês) ao país. A declaração veio semanas após a organização anunciar cortes no apoio financeiro destinado a San Salvador, como forma de punir o governo Bukele. Sem se importar muito e optando por aumentar suas relações com a China, o presidente chegou a mandar a comunidade internacional “não se meter” já que seu país estava “limpando a casa”. Via AP

Mais dúvidas do que certezas cercam a decisão salvadorenha de se tornar a primeira nação do mundo a usar Bitcoin como moeda oficial. Quem também não se animou foi o Banco Mundial, que rechaçou um pedido de ajuda por parte do governo em San Salvador. Segundo a entidade, as dificuldades de se garantir transparência no processo e o impacto ambiental (que, segundo o BM, seria alto em função do alto consumo de energia para a mineração das criptomoedas) são razões que impedem o apoio. Já El Salvador argumenta que a medida, além de servir como um laboratório financeiro para o mundo, pode ajudar salvadorenhos vivendo fora do país a enviar remessas a seus familiares. Na BBC.  

EQUADOR 🇪🇨

O presidente Guillermo Lasso, que tomou posse na última semana de maio, vai se ausentar do país por dez dias a partir deste domingo (20). O motivo é de saúde: o mandatário vai aos EUA para uma cirurgia na medula espinhal, a terceira do tipo, desta vez para drenar um cisto. Lasso enfrenta problemas na região desde 2013, após um erro médico na aplicação de uma anestesia epidural, quando era submetido a outra operação na Espanha, depois de sofrer uma queda. Desde então, o banqueiro caminha com a ajuda de uma bengala e realiza sessões diárias de fisioterapia para melhorar a mobilidade. Curiosamente, o agora ex-presidente Lenín Moreno, que passou o bastão a Lasso, também enfrentava problemas de mobilidade: baleado na coluna durante um assalto em 1998, Moreno utiliza uma cadeira de rodas. Em El Universo.

GUATEMALA 🇬🇹

O México enviou uma doação de mais de um milhão de insumos médicos para o combate à covid-19, incluindo equipamentos de proteção individual e termômetros digitais. A solidariedade aos vizinhos vem em um momento em que o país nortenho passa por uma queda continuada nos contágios e mortes, segundo os números oficiais notoriamente subnotificados: há nove semanas, o país oscila entre 15 e 25 mil casos semanais de covid-19, após registrar picos acima de 100 mil em janeiro. Já na Guatemala, que também testa pouco, a situação é a pior desde o início da crise sanitária, agravada por uma das vacinações mais lentas da região, que só deu conta de distribuir 4 doses a cada 100 habitantes, com menos de 1% da população totalmente vacinada. Em El Periódico.

Já são ao menos seis mortos e mais de 300 mil pessoas afetadas por uma nova temporada de tempestades no país, informaram autoridades na quinta (17). Ainda se recuperando da brutal sequela deixada pela mais devastadora temporada de furacões na América Central e Caribe, ocorrida em 2020, a Guatemala teme ter ainda mais problemas para reparar os novos danos causados pelas chuvas. Segundo a Coordenadoria para Redução de Desastres (CONRED), os fenômenos obrigaram mais de 4,6 mil pessoas a deixarem suas casas. Na Prensa Libre

HAITI 🇭🇹

A crise humanitária segue em todos os cantos: segundo um relatório do Unicef, a violência promovida por gangues levou ao desalojamento de mais de 8,5 mil mulheres e crianças só nas últimas duas semanas. O enfrentamento entre os grupos armados e a polícia transformou as ruas da capital Porto Príncipe, obrigando famílias a procurarem alojamentos provisórios por medo da violência. Nos últimos nove meses, as cifras alarmantes são ainda maiores: a ONU estima mais de 14 mil civis afetados pelo “fogo cruzado”, como classificam órgãos internacionais. Via AP.


Un clic:
A post shared by @agnargentina
O Graf Zeppelin chega a Buenos Aires em 1934.

HONDURAS 🇭🇳

Com uma vacinação que avança a passo de tartaruga e apenas 5 doses distribuídas a cada 100 habitantes (o que coloca o país em 18º lugar entre os 21 locais que o GIRO acompanha, à frente apenas de Guatemala, Nicarágua e do Haiti, único que ainda não começou a vacinar), Honduras recebe, entre quinta (17) e segunda, lotes de vacinas da Pfizer vindas através do mecanismo Covax. Ao todo, serão 212.490 doses, um reforço significativo em um país que só aplicou 488 mil doses no total até o momento. Em paralelo à chegada dos imunizantes, Honduras recebeu a doação, feita pelos EUA, de cinco congeladores capazes de armazenar até 2 milhões de doses. No Proceso.

Uma briga entre gangues em uma prisão de segurança máxima deixou cinco mortos e 39 feridos em Morocelí, 60 km a leste da capital Tegucigalpa. Segundo associações de direitos humanos, o conflito ocorreu entre membros das pandillas Mara Salvatrucha (a MS-13) e a Barrio 18, gangues que dominam a violência na América Central. Embora seja considerada de “segurança máxima” pelas autoridades locais, a prisão de La Tolva, onde aconteceu o massacre desta semana, é infame por casos semelhantes e pouca transparência: desde 2017, pelo menos, todos os anos têm registros de detentos assassinados. O sistema prisional hondurenho está sob intervenção militar desde 2019, medida que não reduziu a violência atrás das grades. Via AP.

MÉXICO 🇲🇽

O estado de Sinaloa, que tanto aparece na mídia pela força dos cartéis de droga, tem uma boa notícia: na terça (15), o local passou a reconhecer oficialmente o casamento entre pessoas do mesmo sexo. A mudança veio após o Congresso estadual aprovar reformas ao chamado Código da Família, e foi celebrada por entidades e políticos como um avanço nos direitos humanos. Há uma briga de forças para avançar nesse direito: ainda que a Suprema Corte, em 2015, tenha declarado inconstitucionais os códigos civis que não contemplem o casamento igualitário, quase um terço dos estados mexicanos (que têm maior poder legal do que no Brasil, por exemplo) ainda relutam em mexer nesse ponto. Na Forbes.

Uma boa novidade para o setor turístico do estado de Quintana Roo, onde fica a requisitada Cancún: pela primeira vez desde o colapso sanitário, cruzeiros carregando pessoas voltaram a transitar pela região, cuja dependência do setor supera 87%; em 2020, o turismo caiu 46% no país, com mais de 143 mil empregos perdidos e um prejuízo acima dos US$ 13 bilhões. Segundo autoridades locais, o navio só receberá pessoas com um limite de 5% da capacidade total, exigindo comprovação de imunização e testes recentes de covid-19. A semana é de aparente melhora para o país, que registrou na segunda (14) o dia com o menor número de mortes em 14 meses: 37, segundo dados oficiais. No entanto, ainda que exista uma tendência de queda, o México tem uma das piores subnotificações da América Latina. Via AP.

NICARÁGUA 🇳🇮

Morreu, aos 93 anos, o ex-presidente Enrique Bolaños Geyer (2002-2007), o último a assumir o cargo antes da mais recente ascensão de Ortega. A família confirmou a morte na segunda-feira (14) pelas redes sociais. Bolaños Geyer abraçou as bandeiras da luta anticorrupção e da estabilização econômica, assinou o Acordo de Livre Comércio entre os Estados Unidos e a América Central, o Cafta, e conseguiu renegociar a dívida externa. Por outo lado, seu governo também foi responsável por aprovar a criminalização total do aborto, com o surpreendente apoio da Frente Sandinista. Bolaños Geyer foi um político conservador e ferrenho anti-sandinista que venceu e perdeu para Ortega nas urnas, mas também colecionou desafetos liberais no seu combate à corrupção: o maior deles foi o ex-presidente Arnoldo Alemán (1997-2002), condenado em 2003 a 20 anos de prisão pelos crimes de lavagem de dinheiro, fraude, peculato e crimes eleitorais, entre outros. Após deixar a presidência em 2007, Bolaños Geyer se dedicou a criar uma enorme biblioteca virtual. Em El País.

PANAMÁ 🇵🇦

Seguem os trabalhos de descontaminação nas águas em torno da ilha de Taboga, zona turística próxima à entrada do Canal do Panamá através do Pacífico. Na semana passada, o vazamento de uma substância não especificada colocou os pescadores locais em alerta, temendo que a atividade possa ser afetada pela contaminação. Além da limpeza, autoridades estão investigando cinco navios fundeados nos arredores da ilha, para determinar a origem da substância e quais os seus perigos. Com 2 mil habitantes, Taboga também teme que a sujeira afete o turismo, outro motor da economia local – para poder voltar a receber viajantes, a ilha teve toda a população vacinada e chegou a ser declarada “livre de coronavírus”. Via AP.


Un hilo:
Um bem-humorado paralelo sobre a política peruana.

PARAGUAI 🇵🇾

Um colapso sanitário sem fim: ainda com ocupação de leitos acima dos 100% e uma média de internações diárias acima de 100 pacientes, o Paraguai enfrenta um problema maior do que seus também colapsados vizinhos: ainda vacina muito pouco. Em meio a quase três meses de crise constante, o país de pouco mais de 7 milhões de habitantes deu conta de imunizar apenas 3,4% de sua população, patamar inferior à Argentina, que com 8,1% de seus habitantes totalmente vacinados tem a segunda menor taxa do Cone Sul. Já o Uruguai, que tem metade dos habitantes, já supera a marca de 38,2%, só atrás do campeão de aplicações Chile (48,5%). O Brasil, que durante a semana chegou a bater 2 milhões de inoculações em 24 horas, tem 11,5% de pessoas totalmente vacinadas. Enquanto pena com um pico de casos e mortes e pouca vacinação (apesar de novos contratos de compras), o Paraguai não vê trégua adiante: “um horizonte sombrio que vai se manter em julho”, disse uma autoridade, na Prensa

PORTO RICO 🇵🇷

Cerca de 337 mil cidadãos seguem no escuro desde que um inesperado e misterioso apagão geral afetou toda a rede de distribuição de Porto Rico na semana passada (leia mais no GIRO #85). Com mais promessas do que respostas por parte da empresa privada que agora cuida do abastecimento, os habitantes da ilha seguem preocupados, mas sem tantas surpresas: as estruturas de energia do lugar seguem pendentes de uma série de reparos desde que o furacão María devastou Porto Rico, em 2017. Desde então, panes têm sido comuns. Via AP.

REPÚBLICA DOMINICANA 🇩🇴

Um grupo de 30 organizações, incluindo entidades ligadas aos direitos humanos, querem que todo o sistema de pensões do país seja nacionalizado. De acordo com os demandantes da mudança, a atual estrutura previdenciária, controlada por empresas privadas “incompetentes”, foi fortemente afetada pela pandemia, o que exige uma reformulação total. Durante o ano de 2020, especulou-se que os administradores das pensões pudessem repassar 30% dos fundos aos dominicanos, em lógica similar à que foi adotada no Chile, onde saques “antecipados” serviram como recurso emergencial. A proposta, no entanto, não avançou. Via EFE

URUGUAI 🇺🇾

Contra “a fome e a desigualdade”, centrais sindicais organizaram protestos de 24 horas em vários locais da capital, pedindo atenção do governo à situação de calamidade socioeconômica gerada pela pandemia. Lideranças dizem que é “urgente” resolver a situação de “100 mil pobres e mais de 80 mil novos desempregados”. Ainda que só atrás do Chile entre os países que mais vacinam proporcionalmente no continente (com 38% de imunizados com duas doses), o Uruguai enfrenta em 2021 um verdadeiro pesadelo pandêmico: das mais de 5 mil mortes por covid-19 registradas até hoje, pelo menos 4 mil aconteceram só nos últimos três meses. Em algumas semanas do atual ano, o país chegou a registrar mais vítimas do que em todo o ano de 2020, quando o vírus seguia controlado apesar da falta de restrições. Nos últimos sete dias, porém, um alento: as 246 mortes registradas na semana, embora ainda em um patamar alto, representaram o menor número de óbitos em sete dias nas últimas 11 semanas. No Página 12

VENEZUELA 🇻🇪

Totalmente dependente do petróleo, mas há 14 meses sem vender “uma só gota”. É o que diz o presidente Nicolás Maduro, que culpa as sanções impostas pelos EUA pela baixa produção e déficit da commodity (que representa mais de 90% da economia nacional). Segundo o chavista, durante os anos de Donald Trump (2017-2021), a Venezuela sofreu uma perda de “99% de ingressos nacionais” em comparação com anos anteriores. A PDVSA, estatal do petróleo, extraía uma média de 2,4 milhões de barris/dia em 2015; em 2020, também em função da crise da pandemia, o número estacionou em 400 mil barris. “Uma campanha de asfixia”, diz o governo em Caracas. Na Semana.  

Uma sequência de crimes de gênero tem alarmado organizações defensoras dos direitos humanos e toda a comunidade LGBTQIA+: em menos de 48 horas, uma mulher trans e dois homens homossexuais foram assassinados no país. Os casos têm gerado uma onda de repúdio e denúncias, somados ao alerta: segundo ONGs, casos desse tipo têm crescido e pouco tem sido feito para contornar a situação. Grupos também se mobilizam para mudar o cenário legal: ao lado de países como Haiti e El Salvador, a Venezuela tem uma legislação atrasada em termos de avanços civis, não permitindo o casamento igualitário e o registo social (necessário, por exemplo, para que pessoas transgênero mudem de nome). Segundo registros, ao menos 128 pessoas morreram vítimas de transfobia na Venezuela entre 2008 e 2020. No Confidencial.


Gostou do nosso conteúdo? Com o seu apoio, podemos construir juntos um GIRO ainda melhor e mais completo. Faça parte!

Apoie o GIRO!


Também estamos no Twitter, Instagram, YouTube e em Podcast. 

Loading more posts…