Brasil rende 3ª derrota ao Mercosul na Europa

México: Covid já mata mais que violência || Bolívia formaliza nova data das eleições adiadas || Maduro e Guaidó fazem trégua inédita por pandemia || País a país, um resumo das notícias do continente

O parlamento holandês aprovou, na quinta-feira (4), uma moção contra a ratificação do acordo entre o Mercosul e a União Europeia. Segundo os deputados, a situação da Amazônia, que só piorou durante o governo Bolsonaro, soma-se aos questionáveis padrões agrícolas desempenhados pelos países do Cone Sul. A decisão também se apoia na falta de um termo claro que proíba o desmatamento ilegal na região amazônica. A decisão é importante: para que o histórico acordo feito entre os sul-americanos e o bloco europeu saia do papel, todos os respectivos parlamentos (um total de 27 países) precisam aprovar e ratificar os termos. 

A moção aprovada é de natureza não vinculativa, o que significa apenas um diagnóstico das intenções dos deputados. A parlamentar Esther Ouwehand, líder do Partido dos Animais e propositora da medida, disse que “pela primeira vez, a Câmara dos representantes toma uma posição contra um acordo comercial ao qual nosso governo era muito favorável”. Não é a primeira vez que a imagem do Brasil emperra o andamento das tratativas. Em 2019, no auge das rusgas entre Brasília e Paris, a ministra do Meio Ambiente da França, Elisabeth Borne, disse que seu governo “não assinaria um acordo comercial com um país que não respeita a Amazônia e o Acordo de Paris”. No mês seguinte, foi a vez do “não” dos austríacos

Apesar do aceno recente do governo argentino ao Brasil (leia mais na seção do país no GIRO de hoje), as derrotas do acordo em terra europeia e a decisão de Buenos Aires de suspender sua participação em decisões do bloco mostram um momento incerto na América do Sul. Um exemplo é a diferença colossal nos números de cada país na pandemia. Paraguai, presidente rotativo do bloco no semestre, e Uruguai, juntos, têm menos casos e mortes do que cidades como Campinas (SP), por exemplo, mesmo tendo dez vezes a população da cidade brasileira. 

No cenário de hoje, o Brasil é o corpo estranho entre os mercosulinos. Os recém-chegados Alberto Fernández e Luis Lacalle Pou, ainda que de centro-esquerda argentina e centro-direita uruguaia respectivamente, são moderados e dificilmente entrarão em desacordo. Um pouco mais à direita está o paraguaio Mario Abdo Benítez, também discreto e equilibrado quando comparado ao vizinho brasileiro. Já Bolsonaro, cuja imagem personifica a política externa do país que governa, é um perigo constante para as ambições conjuntas do grupo.


😷 A covid-19 segue com números de novos casos e óbitos que pioram a cada semana e encerrou a sexta (5) totalizando mais de 1,234 milhão de contágios e 62,3 mil mortes na região. Leia nosso detalhamento por país.

Un sonido:
Também no YouTube.

ARGENTINA 🇦🇷

Segundo o chanceler Felipe Solá, a Argentina não hesitaria em ajudar o Brasil caso o “povo irmão” solicitasse apoio sanitário contra o coronavírus. Questionado pelo editor deste GIRO, Lucas Berti, sobre quais seriam as medidas adotadas em caso de uma solicitação imediata de apoio, o assessor de Solá, Lisandro Sabanes respondeu que “não há mais informações” e que o confirmado é que “em caso de pedido, haverá ajuda”. Se a população brasileira é só 4,7 vezes maior que a argentina, os números da pandemia assustam: o Brasil tem 31 vezes mais infecções e 55 vezes mais mortes causadas pela covid-19. No Perfil

O presidente Alberto Fernández prorrogou, mais uma vez, a quarentena obrigatória na capital e em outras zonas que registram transmissão comunitária do coronavírus. Antes prevista para acabar neste domingo (7), ela agora segue até 28/6. Partes menos críticas do país continuarão com o processo de relaxamento das medidas. Em Buenos Aires (tanto a cidade quanto a província homônima ao redor), porém, a situação tem piorado, e o país registrou ao longo da semana tanto o recorde diário de novos casos (949, na quarta) quanto de mortes (25, na quinta). Via Agência Brasil.

Cristina Caamaño, interventora na Agência Federal de Inteligência (AFI) apresentou, na sexta (5), uma denúncia à Justiça argentina contra o governo anterior: segundo ela, a gestão Mauricio Macri teria espionado de forma ilegal cerca de 500 pessoas, incluindo jornalistas, dirigentes políticos, empresários e acadêmicos. Até o fechamento deste GIRO, as informações sobre o caso ainda eram superficiais, mas fontes do atual governo deram a entender que teriam sido compiladas fichas com o “perfil ideológico” dos monitorados. No Clarín.

BOLÍVIA 🇧🇴

Alegando contenção de gastos pela pandemia, a presidenta interina Jeanine Áñez anunciou uma série de reformas burocráticas, que incluem a extinção de três dos 20 ministérios e o fechamento de duas embaixadas. As pastas de Cultura e Esporte passam ao comando de Educação, enquanto o antigo Ministério da Comunicação passa a ser vinculado diretamente à Presidência. Já as representações diplomáticas encerradas estavam no Irã e na Nicarágua. Áñez promete usar o dinheiro economizado para combater o coronavírus. Em La Razón.

Áñez também demitiu o ministro de Mineração, Fernando Vázquez, após declarações racistas no último domingo (31). Em entrevista a uma rádio, Vázquez respondeu a alegações de que estaria ligado ao MAS (partido de Evo Morales, com importante militância indígena) dizendo que não cumpria os “requisitos” para ingressar na sigla, já que tinha, entre outras características, “olhos verdes” e “pele branca”. Já mirando nas eleições para as quais se tornou candidata (mesmo prometendo que não seria), Áñez agora aparece combatendo o mesmo racismo em que se apoiou para subir ao poder. No Infobae.

Após muita demora e protestos da oposição, as eleições presidenciais ganharam nova data nesta semana. Marcadas originalmente para 3/5 e adiadas pela pandemia, elas agora devem ocorrer em 6/9. No ABC.


Un hilo:

CHILE 🇨🇱

Após 14 anos de tramitação, uma lei que põe fim aos “mandatos vitalícios” no Legislativo chileno foi aprovada na Câmara na quarta (3). De acordo com o texto, senadores só poderão exercer dois mandatos (de 6 anos cada) consecutivos, enquanto deputados não poderão ficar no cargo por mais que três mandatos (de 4 anos cada) em sequência. Limitações para prefeitos e vereadores também estão previstas, embora o governo trabalhe para revertê-las. Em uma reviravolta inesperada, a expectativa é que a lei já se aplique inclusive aos parlamentares que tentariam renovar seus cargos em 2022, podendo impedir a reeleição de sete senadores e 37 deputados. Na Biobío.

Em decisão pouco comum na América Latina, onde mudanças de critérios costumam ser adotadas para mascarar estatísticas ruins, o Ministério da Saúde passou utilizar um novo modelo de contagem de vítimas da covid-19 que aumentou os números de mortes em um primeiro momento: agora, pessoas em cuja certidão de óbito conste a doença como causa mortis, mesmo sem que o resultado do teste tenha saído, já entram nas estatísticas oficiais no mesmo dia. Na quarta (3), primeira vez em que o critério foi adotado, o país registrou recorde diário de novos óbitos até ali: 87, sendo que 33 se enquadravam no novo modelo. Na sexta, enquanto o país registrava novo recorde de mortes por dia (92), foram anunciadas mais restrições à circulação de pessoas. Em La Tercera.

O presidente Sebastián Piñera fez, na quinta (4), uma série de trocas de cargos em seu gabinete ministerial. Segundo analistas, o mandatário optou por nomes com mais peso partidário e capacidade de articulação política, já prevendo o período potencialmente turbulento rumo ao plebiscito pela reforma constitucional, marcado para 25/10. As trocas, objeto de rumores nas últimas semanas, também teriam ocorrido como uma tentativa de mostrar serviço antes da “Cuenta Pública” de 31/7, evento anual em que o presidente discursa sobre a situação do país e os planos futuros. Em El Mostrador

COLÔMBIA 🇨🇴

A cidade turística de Cartagena das Índias pode virar o novo epicentro do coronavírus no país. Autoridades alertam para surtos dentro de prisões, em especial na penitenciária de San Sebastián de Ternera, onde 241 presos testaram positivo para a doença. Só essa semana, foram 81 novos casos. Além dos detentos, os guardas também estão infectados, o que deve levar o contágio para fora do local. A falta de detecção efetiva também preocupa: um soldado de 45 anos do Instituto Nacional Penitenciário e Carcerário morreu com sintomas da doença, mesmo após ter testado negativo em três oportunidades. Em El Tiempo.

A chancelaria informou que não irá romper relações diplomáticas com Cuba, na sequência de rumores que vieram por conta da presença de chefes da guerrilha do Exército de Libertação Nacional (ELN) na ilha. As conexões com o ELN, grupo incluído em listas de organizações terroristas por países como os EUA, são um dos motivos alegados para as repetidas sanções ao governo cubano. Bogotá diz que segue trabalhando para melhorar as relações bilaterais, mas lembra que já pediu a Havana a extradição dos elenos, sem sucesso. Na Semana.

COSTA RICA 🇨🇷

Após um acordo entre os países, as fronteiras entre Costa Rica e Nicarágua foram reabertas, reativando a rota de pelo menos 1,2 mil veículos de transporte de carga. A decisão de lacrar o ponto de acesso de Peñas Blancas foi tomada de forma unilateral pelo governo costarriquenho em 18/5. A seguir, o governo Ortega respondeu da mesma forma. A decisão foi revertida após uma reunião extraordinária do Conselho de Ministros de Integração Econômica, de competência regional. O problema econômico na fronteira é complexo. Na Prensa.

Ainda o país com a menor letalidade da América Latina e sem chorar uma morte por covid-19 desde 16/5, a Costa Rica viveu uma aceleração de novos casos nos últimos sete dias: foram 206 contágios confirmados, o maior aumento semanal até aqui, representando um acréscimo de 20%. O relaxamento das medidas de distanciamento e a entrada do vírus através da Nicarágua estão por trás dos números, que ainda não preocupam, mas acenderam um primeiro alerta no governo. No Nación.

CUBA 🇨🇺

Autoridades de saúde apostam na aplicação da Biomodulina T para prevenir o contágio de grupos de risco, como parte de uma série de tratamentos contra a covid-19. Segundo o diretor de Epidemiologia do Ministério da Saúde Pública, Francisco Durán, a droga melhora o sistema imunológico e pode reduzir as chances de contaminação ou, em caso de doença, permitir uma evolução do quadro sem complicações. O medicamento segue sendo aplicado em pessoas do grupo de risco. Na Prensa Latina.

Mais uma baixa causada pelo agravamento das sanções impostas por Trump sobre a ilha: a rede hoteleira Marriott, que passou a operar em Cuba em 2016 após anos de aproximação dos governos sob Barack Obama, anunciou que fechará seu hotel em Havana antes de agosto. Segundo a empresa, a licença de operação não foi renovada pelo governo estadunidense, obrigando à interrupção de atividades. O trumpismo vem atacando a indústria turística cubana para afetar as finanças da ilha e, anteriormente, já havia restringido cruzeiros e voos entre os EUA e Cuba. Via AFP.


Una expresión:

Ir de Guatemala a Guatepeor – “ir de mal a pior”, mas na variante autodepreciativa utilizada pelos guatemaltecos quando alguma coisa que já não ia bem piora bastante no país. Uma expressão ainda mais frequente na última semana, que foi a pior da Guatemala na pandemia (as mortes aumentaram 98% em sete dias) ao mesmo tempo em que o país era atingido pela tempestade Amanda.


EL SALVADOR 🇸🇻

Até o fechamento deste GIRO, o país é o mais afetado pela passagem da tempestade tropical Amanda, que no último final de semana atingiu o chamado Triângulo Norte da América Central, que também inclui Guatemala e Honduras. Pelo menos 27 fatalidades aconteceram em território salvadorenho, segundo o Ministério do Meio Ambiente. Quase 8 mil pessoas estão desalojadas e recorreram aos mais de 179 albergues autorizados pelas autoridades. O atual alerta pode perdurar até a passagem da tempestade Cristóbal. Toda a região vive os primeiros estragos da temporada de furacões do Atlântico, que dura entre junho e novembro e apenas se inicia. Na Prensa Libre.

EQUADOR 🇪🇨

O ex-presidente Abdalá Bucaram (1997) foi preso na quarta (3) como parte de investigações que desbaratam supostos esquemas de corrupção em hospitais durante a pandemia. Segundo o Ministério Público, após uma uma ordem de busca, o político “foi detido em posse de uma arma de fogo, sem apresentar justificativa para a posse”. Abdalá é suspeito de desviar fundos em um contrato de suprimentos médicos para o Hospital del Seguro, em Guayaquil, região que chegou a ser um dos epicentros do vírus na América do Sul. Nos anos 90, Bucaram presidiu o país por só seis meses, até ser destituído pelo Parlamento, sem qualquer documento médico, por “incapacidade mental”. A queda do mandatário, porém, foi bastante apoiada pelas ruas. Em apenas meio ano, o excêntrico Loco que ama acumulou episódios incomuns na vida pessoal e política.

As ilhas de Santa Cruz e San Cristóbal, a segunda e a quinta maiores dentre as 58 que compõem o arquipélago das Galápagos, foram os primeiros territórios equatorianos declarados como “livres de coronavírus”, uma conquista encorajadora no país que foi o primeiro exemplo de colapso sanitário na região. A quase mil quilômetros da costa e fechadas desde o início da crise, as Galápagos acabaram sendo a parte menos afetada do Equador, mas o bem-sucedido isolamento teve seus custos: pesquisas científicas envolvendo a fauna e flora únicas do arquipélago foram suspensas e o setor turístico, que move a economia das ilhas, ficou completamente parado. A zona voltará a receber viajantes apenas em 1/7. Via AFP.

GUATEMALA 🇬🇹

O presidente Alejandro Giammattei já disse que “os EUA não são aliados” na luta contra o coronavírus, motivado pela manutenção da política de deportações norte-americana mesmo em meio à pandemia, fazendo com que as nações da América Central venham recebendo mais doentes do que podem absorver. Em entrevista à imprensa guatemalteca na sexta (5), o secretário adjunto do Departamento de Estado dos EUA, Jon Piechowski, reafirmou que as deportações de guatemaltecos continuarão. Mais de 2 mil deles já foram mandados de volta. Na Prensa Libre.

HAITI 🇭🇹

O primeiro-ministro Joseph Jouthe informou, em uma circular da segunda (1º), que o governo está reduzindo o efetivo dos serviços públicos para cumprir com o estado de emergência sanitária. As agências não-essenciais devem permanecer fechadas, enquanto as demais não poderão operar com mais de 20% dos seus funcionários. Trabalhadores integrantes de populações de risco não poderão comparecer às repartições. O documento, porém, não detalhou se os salários continuam a ser pagos normalmente ou serão suspensos. No Constant Haiti.

HONDURAS 🇭🇳

A pandemia não para o fluxo migratório. Ainda em busca de uma vida nova, longe da violência, pobreza e desemprego de seus países de origem, migrantes haitianos e africanos tentam alcançar os EUA. Para tanto, traçam a caminho conhecido pelas caravanas que recortam o território centro-americano. Para chegar à Guatemala, país anterior ao México, famílias inteiras tentam cruzar a fronteira hondurenha, mas são impedidas pela polícia. Diferente do território guatemalteco, Honduras não é um “terceiro país seguro”, definição dada às nações autorizadas a reter solicitantes de asilo que estejam com situação pendente. Na Al Jazeera.


Un clic:
En junio de 2010, el transbordador Atlantis emprendió su último viaje a la Estación Espacial Internacional, una misión que duró 12 días.
.
.
Y precisamente durante ese viaje, la @nasa publicó una fotografía donde se puede apreciar en primer plano el transbordador Atlantis y la Cordillera de Los Andes de fondo, en una zona muy cercana al límite entre la Región de Valparaíso y Mendoza.
.
Datos de @latercera
June 1, 2020

MÉXICO 🇲🇽

A deputada estadual Francis Anel Bueno, de Colima (estado na costa do Pacífico), foi encontrada morta em uma vala clandestina na quarta (3), após passar mais de um mês desaparecida. A congressista de 38 anos havia sido sequestrada por homens armados em 29/4, enquanto participava de uma jornada de sanitização contra a covid-19, para conscientizar a população na cidade de Ixtlahuacán, seu berço político. Hoje correligionária do presidente López Obrador no partido Morena, Anel Bueno passou antes pelo Partido Revolucionario Institucional (PRI) e chegou a ser braço-direito do ex-prefeito de Ixtlahuacán, Crispín Gutiérrez, que também morreu assassinado, em 2017. Ainda não se sabe se há relação entre os crimes. No Excelsior.

Uma estatística que mostra o tamanho da pandemia: pouco mais de três meses após chegar ao México, o coronavírus já superou oficialmente o total de vítimas de homicídios no país, um dos mais violentos do continente. Segundo a Secretaria de Segurança Pública, 11.535 mexicanos perderam a vida em crimes violentos entre janeiro e abril (período mais recente com dados consolidados), enquanto a covid-19 já havia superado esse número na quarta (3), chegando a 11.729 vítimas (dois dias depois, já eram 13,1 mil). Nesta semana, o México tornou-se o primeiro latino-americano após o Brasil a registrar mais de mil óbitos em 24 horas e, apesar da enorme subnotificação (pior, inclusive, que a brasileira), também ultrapassou os 100 mil casos da doença. Em El Universal.

NICARÁGUA 🇳🇮

Cerca de 30 associações médicas convocaram a população a fazer quarentena voluntária, já que o presidente Daniel Ortega continua se recusando a levar a pandemia a sério. Os médicos pedem que o isolamento dure pelo menos três a quatro semanas e que apenas os serviços essenciais fiquem abertos. A carta das entidades veio logo após o falecimento de um renomado dermatologista, Aldo Martínez Campos, o 29º profissional de saúde a morrer por covid-19 no país. Ao contrário das nações vizinhas, o governo mantém as escolas abertas e segue fazendo eventos multitudinários. Via AP.

Mais da metade do time de beisebol Fieras del San Fernando está infectado por covid-19. O clube, sediado na cidade de Masaya (a 30 km de Manágua), já teve sua primeira morte pela doença: o técnico Carlos Aranda, 59 anos, no dia 21/5. Mesmo com sintomas, Aranda seguiu comparecendo aos jogos por medo de que cortassem o salário dele ou fosse punido, segundo contou seu pai. O jogador Norman Cardoze Jr. (a estrela do elenco) e o pai dele (gerente do clube) foram hospitalizados junto com Aranda, que chegou inconsciente, foi intubado e morreu dois dias depois.  A Comissão Nicaraguense de Beisebol Superior (CNBS) decidiu manter o cronograma de partidas mesmo assim. Em La Prensa.

PANAMÁ 🇵🇦

Um grupo de migrantes preso na fronteira com a Colômbia ameaçou incendiar o acampamento em La Peñita, onde está abrigado, caso não obtenha permissão para seguir rumo à Costa Rica ou aos Estados Unidos. As fronteiras estão fechadas em razão da pandemia. São cerca de 2 mil pessoas oriundas da África, Ásia e Caribe que cruzaram a perigosa selva na região de Darién. Os estrangeiros reclamam das más condições de água e saneamento e temem se infectar com coronavírus, mas as autoridades panamenhas avisaram, na quarta-feira (3), que eles não poderão continuar sua jornada. Via AP.

PARAGUAI 🇵🇾

Jorge Brítez, um deputado da oposição, rasgou sua camisa e fez um striptease parcial em plena sessão parlamentar, enquanto exigia a reabertura da Ponte da Amizade, que liga Ciudad del Este à brasileira Foz do Iguaçu. Grande parte do comércio da cidade fronteiriça depende do Brasil e, segundo autoridades locais, a maioria dos proprietários das lojas vive no lado brasileiro, o que levou a um fechamento involuntário da cidade mesmo enquanto o resto do Paraguai reabre aos poucos. Segundo Brítez, que defende testes massivos para monitorar a situação e permitir uma volta às atividades, 80% dos trabalhadores da região estariam afetados pelo fechamento da fronteira. No Portal da Cidade Foz.

Não se tornar um novo Chile é a preocupação do Paraguai, que vem flexibilizando sua quarentena gradativamente e não quer repetir o país transandino, que era saudado como uma das melhores respostas à pandemia e viu uma explosão de casos e mortes quando afrouxou as restrições. Até aqui, os paraguaios são um dos raros países sul-americanos com a pandemia “sob controle” (ao lado do Uruguai), sem registrar um óbito por covid-19 desde 13/5 e tendo somado um único novo caso da doença nesta sexta (5). O próximo passo inclui a divulgação detalhada dos casos ativos, não mais do histórico de cada cidade, para determinar onde estão as regiões de maior risco no momento. No ABC Color.

PERU 🇵🇪

Um total de 20 jornalistas peruanos morreram de covid-19 após serem infectados durante a cobertura da pandemia. Segundo a secretária executiva da Associação Nacional de Jornalistas (ANP), Zuliana Laínez, a maioria dos contágios aconteceu em focos da doença, como mercados e hospitais, onde muitos dos profissionais chegaram a se deslocar com máscaras caseiras. A maioria dos casos fatais na imprensa aconteceu na região de Loreto, que é próxima à Amazônia e enfrenta condições sanitárias precárias. No El Comercio.

O governo ampliou por 90 dias o estado de emergência sanitária, contados a partir de 10/6. A publicação do decreto coincide com a chegada de 85 profissionais de saúde cubanos, entre médicos e enfermeiros, para ajudar no combate à pandemia. No fim de maio, o Peru já havia prolongado a quarentena pela quinta vez, até o dia 30/6 – e, dada a retomada gradual das atividades comerciais, tudo indica que o isolamento frouxo será prorrogado novamente. Com mais de 187 mil infectados por covid-19, o país ocupa a segunda posição na América Latina em número absoluto de casos confirmados e também em casos proporcionais à população (quase 5,7 mil por milhão de habitantes). Em Reuters.


Un nombre:

Ouanaminthe – corruptela francófona do créole haitiano Wanament, que por sua vez deriva do espanhol Juana Méndez. Nome de uma comuna de cerca de 100 mil habitantes na fronteira com a República Dominicana, homenageia uma mulher negra escravizada que viveu ali no século 19. Buenaventura Báez, filho de Juana com um político do país vizinho, viria a se tornar o primeiro não branco a presidir os dominicanos, em cinco períodos diferentes entre 1849 e 1878. 


PORTO RICO 🇵🇷

A governadora Wanda Vázquez sancionou, na segunda (1º), o novo Código Civil da ilha, alvo de grande controvérsia durante as discussões em torno do texto nos últimos dois anos. A carta moderniza a legislação anterior, que já tinha nove décadas. O ponto mais polêmico são as dúvidas que gera na população trans (alvo de uma epidemia de violência), já que impõe limitações a emendas na identificação de “sexo” na certidão de nascimento – o que poderia deixá-las em um limbo já que os documentos posteriores podem ser alterados de acordo com a redesignação. Os massivos protestos contra a ambiguidade do texto se somaram às manifestações do movimento Black Lives Matter e chegaram a incluir uma guilhotina que foi posicionada em frente à casa de Vázquez. Em El Nuevo Día.

REPÚBLICA DOMINICANA 🇩🇴

O país está em contagem regressiva para as eleições presidenciais. Remarcadas para 5/7 por conta da pandemia (inicialmente, seriam em 17/5), elas estão a exatamente um mês de distância e vêm rodeadas de peculiaridades inéditas em seus preparativos: serão as primeiras da América Latina a ocorrer à sombra da covid-19. Proibição de comícios e caravanas, intensificação da campanha nas redes sociais, exigência de máscara e distanciamento na hora do voto, e dificuldades para garantir os direitos dos cidadãos no exterior (os EUA deram luz verde à votação; já a Espanha não deu garantias para o processo) marcam o difícil equilíbrio de fazer as eleições acontecerem na data prevista. Via EFE.

URUGUAI 🇺🇾

Três fuzileiros navais foram executados no domingo (31), em um crime atípico no Uruguai. Eles faziam a guarda de um posto de controle da Marinha no Cerro de Montevidéu, local que desde novembro do ano passado já vinha sendo monitorado pela inteligência militar como possível alvo de ataques para roubo de armamento. Acredita-se que o responsável pelo crime seja, ele próprio, um ex-integrante da Marinha que foi dispensado por deserção em março. O suspeito de 26 anos e um casal acusado de ajudá-lo na fuga foram presos. A investigação também trabalha com uma suposta conexão com o narcotráfico. No Subrayado.

As ruas de Montevidéu receberam os primeiros protestos contra o governo do presidente Lacalle Pou, que tomou posse em março. Aos milhares, manifestantes liderados pelas centrais sindicais se reuniram para criticar os cortes aos postos de trabalho feitos durante a pandemia. No Página 12.

Os efeitos da pandemia no emprego, aliás, seguem sendo sentidos. Segundo o Instituto Nacional de Estatística (INE), o desemprego em março, mês mais recente com dados consolidados, foi o mais alto dos últimos 15 anos: cerca de 10,1% da população economicamente ativa acabou atingida. Em El Observador.

VENEZUELA 🇻🇪

A pandemia rendeu a primeira trégua oficial entre Nicolás Maduro e Juan Guaidó. Em nome de obter recursos destinados a enfrentar o coronavírus com a assistência da Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS), o presidente chavista e o líder opositor assinaram um documento conjunto por intermédio de emissários: o ministro da Saúde do governo de fato, Carlos Alvarado, e Julio Castro, delegado e médico que representa a parcela oposicionista da Assembleia Nacional. ONU e União Europeia celebraram o acerto. O apaziguamento entre o chavismo e seu principal adversário surpreende. Como contado pelo editor deste GIRO, Maurício Brum, no Intercept Brasil, Guaidó vive um dos pontos mais baixos desde sua ascensão. Em El Espectador

A porta-voz do Ministério de Relações Exteriores da França, Agnès von der Mühll, desmentiu o boato de que Guiadó estaria refugiado na embaixada francesa em Caracas. O burburinho começou com uma acusação feita pelo chanceler venezuelano Jorge Arreaza, que teria indicado o suposto paradeiro do opositor. A França é um dos países que reconhece a presidência interina autoproclamada do deputado e defende que novas eleições sejam feitas. Na Prensa Libre


Esse email foi encaminhado por um amigo? Assine!


Conheça quem faz o Giro Latino. Também estamos no Twitter, Instagram e YouTube.

Loading more posts…