Honduras: entre eleger 1ª presidenta ou manter direita no poder

Chile: 3º colocado Parisi vira peça-chave nas eleições | Peru: já há moção para derrubar presidente | Equador: Lasso enfrenta protestos estudantis | El Salvador: espionagem à imprensa

“Acredito firmemente que o socialismo democrático que proponho é a solução para tirar Honduras do abismo em que fomos enterrados pelo neoliberalismo, um narcoditador e a corrupção”. É com essas palavras que Iris Xiomara Castro de Zelaya, de 62 anos, molda sua campanha pela Presidência do país, disputa que terá um desfecho em turno único neste domingo (28), quando pouco mais de 5,5 milhões de hondurenhos devem escolher chefe de Estado, 128 deputados para o Congresso Nacional, 20 para o Parlamento Centro-Americano e mais de 2 mil autoridades em nível municipal. A candidata de esquerda, que se lança pelo socialista Partido Liberdade e Refundação (Libre), enfrenta a concorrência do situacionista Nasry Tito Asfura, deputado de carreira e atual prefeito da capital Tegucigalpa. 

Favorita em algumas das pesquisas mais recentes (no último levantamento da mexicana TResearch, que ouviu mil hondurenhos entre os dias 22 e 25, Castro tinha 42,9% das intenções de voto contra 28,2% de Asfura), Xiomara pode se tornar não apenas a primeira mulher a vestir a faixa presidencial como, também, a responsável por quebrar uma hegemonia centenária de duas legendas: o conservador Partido Nacional (PNH), hoje no governo, e o Partido Liberal (PLH) – os grupos políticos que, desde o início do século 20, mantêm o domínio da política local (com algumas juntas militares no meio do caminho), a despeito de escândalos e casos de corrupção. 

Exemplo disso é o próprio atual presidente, Juan Orlando Hernández, que deixará o poder em 27 de janeiro de 2022: ele está às voltas com a Justiça local e a dos Estados Unidos, acusado de ter usado seu cargo para facilitar o funcionamento de uma rede de narcotráfico internacional, o que lhe rendeu a pecha de um “narconservador”. E a trama se estende à família de JOH: em março, seu irmão e ex-deputado Tony Hernández foi condenado à prisão perpétua nos EUA, sob denúncias de ser um dos principais articuladores do esquema de corrupção e tráfico de drogas que toca a cúpula presidencial. Apesar das acusações, JOH se manteve no cargo e encerra um período que acabou tendo uma longevidade improvável: seus oito anos no poder são o mandato mais duradouro de qualquer presidente desde a fundação do país, em 1823. 

A promessa é de disputa acirrada. Apesar de já ter sido alvo de processos por lavagem de dinheiro, desvio de verba pública e mesmo após ter sido citado nos escândalos do Pandora Papers, Asfura conta com forte apoio no Congresso unicameral (na composição atual, o PNH tem 61 das 128 cadeiras, contra apenas 30 do partido de Xiomara) e com a máquina de um partido tradicional. Além disso, o também conhecido como Papi a la orden (parte de um slogan de sua gestão em Tegucigalpa, algo como “papai ao seu dispor”) tem acenado a empresários e setores religiosos em um forte discurso anticomunista e contra o que diz ser a “interferência estrangeira” no país – no que se acredita ser um recado silencioso à expansão cada vez maior da China na região, principalmente por Honduras ser um dos poucos países no continente a manter relações formais com Taiwan, rival histórica do governo em Pequim. Xiomara Castro já prometeu uma aproximação com a China em caso de vitória.

Aos gritos de “Papi sí, comunismo no”, milhares de apoiadores do Partido Nacional marcharam pelas ruas da capital no início do mês, protestando contra a igualdade de gênero e a legalização do aborto – pautas contempladas pelo plano de governo da oposição socialista. Apesar da campanha do Libre prometer uma agenda de “socialismo democrático” e atualizado, pesa sobre Xiomara, em especial aos olhos da imprensa e da opinião pública conservadora, o fato de ser esposa e herdeira política do ex-presidente Manuel Zelaya, antigo aliado dos líderes da esquerda latino-americana. Eleito pelo Partido Liberal, Zelaya foi deposto por um golpe de Estado em 2009, chegando a se refugiar na embaixada brasileira em Tegucigalpa. Dois anos depois, fundou o Libre, mesma legenda pela qual agora Xiomara concorre ao cargo. 

Se Asfura se mostra um nome forte por ser uma aposta do PNH, do lado da esquerda o trunfo pode vir do desgaste do próprio partido no poder. Os rivais destacam que a vitória de JOH em 2017 foi cercada por inúmeras denúncias de fraude e episódios violentos, o que levou a oposição a nunca se convencer da legalidade dos resultados. Para os socialistas que tentam vencer no domingo, destronar o Partido Nacional seria dar fim “a uma ditadura”. Xiomara Castro também ganhou um impulso após a desistência, na metade da campanha, do candidato que oscilava entre a terceira e quarta posições das pesquisas: Salvador Nasralla abriu mão de concorrer e apoiou a presidenciável, retribuindo o que ela própria havia feito por ele quatro anos antes – Nasralla ficou em segundo lugar no pleito passado e, desde então, engrossa as denúncias contra a vitória de JOH.

A gestão direitista atual ainda foi afetada pelos efeitos da pandemia, da crise migratória e dos desastres climáticos recentes, pouco ou nada contornados pelo governo, com chance de fazer a pobreza atingir até 75% da população no final do ano. Independentemente do resultado, quem vencer nas urnas enfrentará um cenário socioeconômico adverso e precisará recuperar a confiança da população no processo democrático.


Gosta do GIRO e quer que façamos ainda mais? Torne-se parte desse projeto e nos ajude a crescer. Participe de nossa campanha de financiamento coletivo!

Apoie o GIRO!


Un sonido:

DESTAQUES

🇨🇱 2º turno à sombra da incógnita Parisi – As pesquisas não erraram, o que vem sendo pouco comum no Chile: o ultraconservador José Antonio Kast venceu o primeiro turno das eleições presidenciais no último domingo (21), com 27,91% dos votos, seguido pelo esquerdista Gabriel Boric, que fez 25,83%. Desta vez, as sondagens conseguiram até mesmo constatar o surpreendente crescimento de Franco Parisi – um candidato sui generis que vive no Alabama (EUA), fez toda a campanha eleitoral sem colocar os pés no Chile e ficou em terceiro lugar com 12,80% dos votos, superando nomes mais fortes como o candidato do governo, Sebastián Sichel (12,78%), e a centrista Yasna Provoste (11,60%). Agora, é o eleitorado do próprio Parisi que pode ser decisivo no segundo turno, marcado para 19/12: Provoste já declarou apoio a Boric, e Sichel, embora não indique que vá subir no palanque de Kast, manifestou sua contrariedade a uma vitória do que chamou “extrema esquerda”. Parisi, no entanto, é um mistério: embora seu posicionamento seja conservador, os votos nele vêm sendo interpretados como um protesto “anti-establishment”, o que torna imprevisível o destino dos eleitores – uma primeira pesquisa mostrou que grande parte deles (44%) poderia simplesmente não comparecer, aproveitando-se do voto facultativo no país andino, enquanto os demais estão divididos dentro da margem de erro entre Boric e Kast. As eleições do final de semana também garantiram um Congresso dividido em que o futuro presidente, qualquer que seja, não terá maioria, mas em que a direita garantiu sua maior representação desde a redemocratização.

🇵🇪 Já há moção para derrubar Pedro Castillo – Para outros países seria uma grande crise, mas no Peru foi apenas mais uma quinta-feira: no dia 25, deputados oposicionistas conseguiram assinaturas suficientes para apresentar a primeira moção de vacância contra o presidente Pedro Castillo, processo semelhante a um impeachment que, no limite, poderia afastar o presidente que tomou posse apenas quatro meses atrás. Como de hábito, a alegação é de “incapacidade moral”, um dispositivo vago que o próprio Castillo está tentando eliminar e vem minando a estabilidade política do Peru (em novembro de 2020, por exemplo, o país chegou a ter três presidentes em uma semana). O pedido ainda precisa passar por uma primeira rodada de votações no início de dezembro e obter apoio de 40% do Congresso para ser admitido em plenário – se chegar a esse ponto, serão necessários ao menos 87 dos 130 votos da Casa para de fato afastar o presidente. Hoje, embora com um Congresso hostil, as bancadas que se manifestaram contra a vacância controlam 67 assentos, o que seria suficiente para manter o presidente no cargo, mas o próprio descontentamento da sigla de Castillo com a recente moderação do mandatário (classificada pelos radicais de esquerda como “direitização”) poderia criar um novo equilíbrio no jogo, já que em caso de queda assume sua vice, também do partido Perú Libre.

🇪🇨 Agora são os estudantes contra Lasso – Semanas após acalmar um pouco as tensões com os movimentos indígenas, com quem se reuniu no início de novembro, o governo Guillermo Lasso já está outra vez na mira de protestos nacionais – desta vez, encabeçados por estudantes. Universitários, secundaristas e docentes marcharam sobre a capital Quito e outras cidades na quinta (25) rechaçando a previsão de cortes no orçamento da educação para 2022: só para o ensino superior, há uma previsão de US$ 117 milhões a menos, em um cenário em que a oposição afirma já existir um déficit de 110 mil vagas universitárias mesmo com os valores atuais. Lasso “dialoga com os grandes grupos econômicos”, contestou Mauricio Chiluisa, presidente da Federação de Estudantes Universitários do Equador (FEUE), prometendo “radicalizar as ações de protesto” se as demandas não forem ouvidas pelo presidente. O governo tem até este sábado (27) como data-limite para propor alterações ao texto. Via EFE.

🇸🇻 Governo estaria espionando imprensa – Jornalistas do país estariam sendo espionados pelo governo, informou a Associação de Jornalistas de El Salvador (APES, na sigla em espanhol) após receber um alerta da Apple. De acordo com a mensagem catalogada como “urgente”, a empresa afirmou que a ação, provavelmente “patrocinada pelo Estado”, pode envolver a invasão de dispositivos como o iPhone. Um dos veículos mais afetados pelo ataque é o jornal digital El Faro, que há tempos vem sendo uma pedra no sapato do presidente Nayib Bukele. Além das novas acusações da APES, a semana voltou a ter críticas externas ao modo de ação de Bukele: uma das principais diplomatas estadunidenses no país, a ex-embaixadora Jean Manes, que voltou em um cargo especial para tentar aproximar os países, deixou esse posto na segunda-feira (22) afirmando que o governo local “não mostrou interesse” em melhorar as relações bilaterais. “Por que eu vou ficar aqui se não tenho um equivalente [para dialogar] neste momento?” Na Prensa Gráfica.

🇭🇹 Premiê compõe gabinete com opositores Buscando estabilidade a quase cinco meses do assassinato do presidente Jovenel Moïse, o primeiro-ministro (e hoje detentor do poder de fato) Ariel Henry empossou seu novo gabinete na quarta-feira (24). Como destaque, a presença de vários membros da oposição, em uma tentativa de conciliação até que o país consiga realizar eleições. No ato, Henry recordou os recentes problemas de segurança pública (um dos casos mais acompanhados fora do país, o sequestro de 17 missionários estadunidenses, teve novidade com a liberação de dois dos reféns), a alta dos combustíveis e a dificuldade de convencer a população a se vacinar contra a covid-19 – uma missão para a qual ele escalou a nova-velha ministra de Saúde, Alix Larsen, que volta à pasta após três anos. Via AP.


Un clic:
A post shared by LatamAdicto (@adictoalatam)

REGIÃO 🌎

A Omicron, nome da mais nova variante “de preocupação” da covid-19, identificada pela primeira vez na África do Sul, provocou outra onda de restrições pelo mundo, e também na América Latina. A região, que vive uma continuada baixa nos casos e óbitos desde o meio do ano, encerrou a semana com os primeiros registros de novas exigências ou proibições a viajantes – por enquanto, especialmente os que vêm de países na zona meridional do continente africano. Até o fechamento desta edição, Argentina, Brasil e Guatemala estavam entre as nações latino-americanas que anunciaram medidas como prevenção à chegada da cepa.

A cidade de Montevidéu, no Uruguai, recebe neste sábado (27) a finalíssima da Libertadores 2021, decidida em jogo único entre os brasileiros Palmeiras e Flamengo no Estádio Centenário (saiba mais em Un nombre). Apenas o quarto jogo derradeiro entre dois brasileiros pela competição sul-americana (que já teve dois representantes daqui se enfrentando nas finais de 2005, 2006 e 2020), a partida que começa às 17 horas de Brasília é a primeira na história que coloca os últimos dois campeões frente a frente – o alviverde, atual detentor da taça, venceu o Santos no Maracanã por 1 a 0 em janeiro, enquanto o rubro-negro bateu o argentino River Plate em 2019, em Lima, em um emocionante 2 a 1. Como nestas edições recentes os dois times conquistaram seus respectivos bicampeonatos, a peleja deste sábado também define um novo tricampeão no país – que passará a se sentar ao lado dos já tri São Paulo, Santos e Grêmio. A proximidade da final levou a um influxo atípico de turistas: entre segunda-feira e o meio-dia de sexta, mais de 15 mil brasileiros entraram no Uruguai, segundo dados do Ministério do Interior. Apenas 17 foram barrados: um por estar impedido de entrar em eventos esportivos e os demais por não apresentar a documentação necessária na fronteira. Em El Observador.

ARGENTINA 🇦🇷

Lá se vai um ano sem Maradona, craque máximo do futebol argentino que faleceu aos 60 anos, em 25 de novembro de 2020. Para além da comoção sem precedentes que ainda segue magoando o coração dos argentinos, a morte do pibe continua levantando suspeitas e dúvidas, sobretudo entre os que não compram a versão de que sua morte foi inevitável. Entre as várias homenagens no aniversário da morte do ídolo, o GIRO relembra sua edição especial de adeus ao craque. 

A sede do jornal Clarín, em Buenos Aires, foi atacada na noite de segunda (22) com coquetéis molotov, levando o corpo de bombeiros ao local por volta das 23h. As imagens foram registradas pelas câmeras de segurança do veículo e estão sendo investigadas pela polícia. O presidente Alberto Fernández lamentou o ocorrido que chamou de um evento que “altera a convivência democrática”. O ataque não deixou feridos e nem causou danos materiais, mas gerou notas de repúdio por parte de jornais argentinos. Em La Nación.

BOLÍVIA 🇧🇴

“Pela democracia e justiça, em defesa do Governo Nacional e da revolução democrática” é um slogan que aparece entre as faixas e as bandeiras wiphalas da “Marcha por la Patria”, ato liderado pelo ex-presidente Evo Morales (2006-2019). A mobilização é acompanhada por milhares de seguidores camponeses e indígenas que caminham por uma rodovia nas montanhas em direção a La Paz, com o objetivo de promover o apoio social ao presidente Luis Arce, que recentemente enfrentou os maiores protestos contra seu governo desde que tomou posse, há um ano. A marcha começou na segunda-feira (22), na cidade de Caracollo, e percorrerá 188 quilômetros até o dia 29. Na Prensa Latina.

Contra a violência de gênero e os feminicídios, o governo anunciou na quinta (25) que 2022 será oficialmente o “Ano da Revolução Cultural para a Despatriarcalização”. Segundo a ministra da Presidência, María Nela Prada, a necessidade de novas leis e políticas públicas nesse sentido não vem apenas das questões históricas enfrentadas pelas mulheres bolivianas, mas também pelo aumento recente de casos de violência familiar após as restrições de circulação que levaram muitas a permanecer mais tempo em casa durante a pandemia. Via EFE.


Una expresión:

Jóvenes Cabal – Uma forma debochada de se referir à juventude de direita na Colômbia. A expressão surgiu a partir de uma campanha de apoio à senadora María Fernanda Cabal, que buscava se lançar como candidata à Presidência em 2022 pelo Centro Democrático, o partido governista. Num vídeo publicado no Twitter, seis adolescentes explicam rapidamente suas razões para se identificarem como jóvenes Cabal: “porque acredito no porte de armas”, “porque acredito na propriedade privada” e “porque acredito no livre mercado”, entre outras. A gravação não demorou para virar meme nas redes. Nesta semana, os uribistas oficializaram Óscar Iván Zuluaga, ex-ministro da Fazenda, para a disputa presidencial – e a pré-candidata reclamou que o partido não publicou o resultado das pesquisas que justificariam a escolha de Zuluaga.


CHILE 🇨🇱

A brutal execução de Víctor Jara (1932-1973), cantor e compositor assassinado por militares na primeira semana após Augusto Pinochet dar um golpe e tomar o poder no Chile, agora rendeu penas mais elevadas para os perpetradores: sete membros aposentados do Exército, que já tinham sido condenados a 18 anos de prisão pelo crime em 2018, mais de quatro décadas após os fatos, viram a pena ser ampliada com o julgamento de um recurso nesta semana, que fez o tempo chegar a 25 anos. Além de Jara, o caso também girava em torno da tortura e morte de Littré Quiroga, que havia sido diretor do sistema de prisões do Chile durante o governo Salvador Allende, e cujo corpo foi encontrado ao lado do músico. Na Biobío.

O histórico projeto de lei que permite legalizar o casamento homoafetivo no Chile avança e foi aprovado pela Câmara com 101 votos a favor e 30 contra. Agora, o projeto volta ao Senado, onde as primeiras projeções apontam que haverá apoio suficiente para se tornar lei. Se aprovado, o Chile se tornará o oitavo país da América Latina a legalizar o casamento igualitário, depois de Brasil, Argentina, Colômbia, Uruguai, Equador, Costa Rica e vários estados do México. O projeto de lei, além de passar a chamar de matrimônio a união entre pessoas do mesmo sexo, também autoriza a adoção e a filiação por esses casais. Em junho, o presidente Sebastián Piñera, que está de saída, já havia assinalado em seu pronunciamento anual ao Congresso que havia “chegado a hora” de o Chile também garantir o direito ao matrimônio igualitário. No France24.

COLÔMBIA 🇨🇴

O país celebrou na quarta (24) os cinco anos do acordo de paz que desmobilizou a guerrilha das FARC, em um encontro entre os personagens centrais da assinatura e também críticos do tratado, que anistiou muitos líderes envolvidos em atos de violência. Os acordos, que renderam ao então presidente colombiano Juan Manuel Santos (2010-2018) o Nobel da Paz, não foram suficientes para encerrar os outros conflitos armados que maltratam o interior do país, e a violência voltou a crescer após uma queda no imediato pós-2016. Os próprios membros das ex-FARC se tornaram alvos de vinganças, e mais de 300 ex-combatentes e líderes sociais pegos no fogo cruzado foram assassinados desde então. Os EUA aproveitaram a ocasião para afirmar que vão seguir a “estreita cooperação para apoiar uma paz duradoura”. Já Cuba, que foi palco das negociações à época, lembrou que a paz nem veio de verdade nem está durando: “reiteramos nossa exortação ao cumprimento integral do pactuado e a tomar medidas mais efetivas para garantir a proteção da vida dos ex-guerrilheiros, líderes sociais e os protetores dos direitos humanos”. Via AFP.

A Anistia Internacional denunciou, em um novo relatório em parceria com ONGs de direitos humanos locais como a Temblores, que ao menos 103 pessoas sofreram traumas oculares em ataques da polícia na repressão aos protestos que varreram o país ao longo de 2021. A nova contagem é parte de um longo processo investigativo sobre violações de direitos humanos ocorridas durante o paro nacional (ouça o episódio do Giro Latino Cast sobre esse momento), a maioria delas ocorridas em Bogotá, no Valle del Cauca e em Cauca. Além das mutilações, o governo reportou oficialmente mais de 50 mortes nas manifestações que tiveram seu auge em maio e se estenderam em menor ritmo pelo resto do ano, embora entidades independentes afirmem que o número seja muito maior. Via AP.

A maior e mais antiga coleção de borboletas do mundo, no Museu de História Natural de Londres, está aos cuidados de uma colombiana: Blanca Huertas, também chamada de Madame Butterfly pelos nativos britânicos, é a curadora responsável por cerca de 40 mil caixas com espécimes que começaram a ser coletados no século 17. O fascínio de Huertas por lepidópteros não surgiu à toa: sua Colômbia natal, onde ela fez a universidade, tem 3.642 espécies catalogadas de borboletas, contra apenas 496 na Europa, concentrando sozinha cerca de 20% da diversidade conhecida no mundo. Na CNN.

COSTA RICA 🇨🇷

Mesmo sendo referência em questões ambientais, o país tem falhado em proteger a vida marinha e na regulamentação adequada da pesca. É o que afirma a organização ambientalista MarVida. Segundo dados apresentados pela entidade, a Costa Rica apresenta um contrassenso: encontra-se entre os principais exportadores de tubarão, ainda que tenha se comprometido a proteger espécies ameaçadas de extinção. “Há avanços em muitas frentes [ambientais], mas no tema da pesca estamos no século 19”, denunciou a MarVida. Via EFE.

Problemas com a pesca, mas avanços reais na exploração de terras: em um anúncio histórico, sete governos locais do país se declararam “territórios livres de exploração e aproveitamento de gás natural e petróleo”, práticas que contribuem com mudanças climáticas e vêm se tornando alvo de ambientalistas e diretrizes ambientais globais. A notícia chega no contexto da aprovação de um projeto de lei que pretende eliminar o uso de combustíveis fósseis no país inteiro, tornando todo o território nacional livre de práticas que agridem o meio ambiente. O governo em San José se compromete como poucos países a cumprir a agenda contemplada pelo plano de descarbonização até 2050. Em El Mundo

CUBA 🇨🇺

Aos poucos, o setor turístico da ilha, que representa até 10% do PIB, vai dando sinais de volta à normalidade. Com mais de 80% de sua população totalmente vacinada (com doses da vacina desenvolvida em casa), Cuba aposta na recente reabertura de suas fronteiras para reaquecer a economia, machucada duplamente por sanções econômicas e pela própria crise sanitária. Por conta da gravidade dos números, o governo do presidente Miguel Díaz-Canel se viu forçado a avançar uma série de medidas de abertura, que também dependem da retomada do turismo para surtir efeito. Via Reuters.

Além de Maradona em 2020, outro falecimento notável ocorrido na América Latina também em um 25/11 foi o de Fidel Castro, amigo pessoal do craque argentino. A morte do líder da Revolução completou cinco anos nesta semana e foi saudada com a maior homenagem póstuma até aqui: em Havana, o governo inaugurou o Centro Fidel Castro Ruz, que nasce com a peculiaridade de ser o único edifício a receber oficialmente seu nome em Cuba, e pretende preservar a obra e o pensamento do socialista. A abertura do centro vem justamente em um ano no qual o governo enfrenta os maiores protestos de oposição desde que Fidel e seus barbudos tomaram o poder em 1959. Via AFP.


Dale un vistazo:

📺 “Maradona no México” (2019) e “Maradona: conquista de um sonho” (2021) – Não são poucas as produções cinematográficas em homenagem a Diego Armando Maradona (1960-2020). Por isso, aqui indicamos duas com propostas bem diferentes: a primeira, de 2019, é uma minissérie documental que conta como o astro do futebol argentino virou treinador do time mexicano Dorados de Sinaloa, no coração da região dominada pelo cartel do Chapo Guzmán. A segunda é uma nova ficção biográfica intercalada por imagens reais – a trama tenta resumir as nuances de uma vida marcada pela genialidade no campo, o assédio da fama, as traições, a dependência química e o caldo político ao longo da carreira. As séries estão disponíveis na Netflix e no Prime Video.


EQUADOR 🇪🇨

Caça ao “cliente”, mas de um jeito atípico: em um vídeo que viralizou nas redes equatorianas, funcionários de duas empresas funerárias de Quito trocaram socos em plena rua da capital para ver qual deles levaria um cadáver que ambos chegaram para recolher. O motivo da disputa tem a ver com o sistema público de emergências ECU911, que também pode ser utilizado para solicitar o recolhimento de pessoas que morreram em casa – as funerárias são acionadas e recebem uma comissão pelo serviço. Mas, às vezes, chegam juntas. Juan Zapata, diretor do ECU911, prometeu denunciar os empregados assim que houver identificação dos envolvidos na briga: “não vamos encobrir sem-vergonhices”, disse. Em La Hora.

GUATEMALA 🇬🇹

Um leão de 20 anos que escapou de um zoológico da cidade de El Chal, na província de Peten, no norte do país, feriu e matou seu cuidador Santos Esquivel Nájera, segundo autoridades locais. O animal era registrado pelo Conselho Nacional de Áreas Protegidas desde 2006 e teve sua habitação inspecionada pela última vez em 2019, o que não evitou a fuga. Como infelizmente acontece na maioria desses casos, o felino foi morto a tiros após ser caçado por policiais. As condições em que o animal vivia já vinham sendo denunciadas por entidades protetoras dos animais, como a Guate Unida por los Animales, que pede o fim da exibição dos bichos. Na Prensa Libre.

Para marcar o Dia Internacional pela Eliminação da Violência contra a Mulher, milhares de guatemaltecas marcharam pelas ruas da capital “por suas vidas” e pedindo o fim da violência machista e dos casos de feminicídio. Os grupos também levaram cartazes dando destaque à ameaça sofrida por grupos minorizados, como mulheres trans e de etnias indígenas como maias, garífunas, xincas e também mestiças. As manifestantes gritaram contra um problema comum em países latinos: a gravidez na adolescência, em muitos casos fruto de violência sexual. Segundo dados oficiais do país, entre janeiro e setembro foram registrados mais de 1,4 mil partos em meninas de 10 a 14 anos; o número passa de 52 mil entre meninas de 15 a 19. Entidades também denunciam um aumento de 30% em casos de feminicídio, com 540 mulheres mortas de forma violenta só este ano. Na RFI.  

MÉXICO 🇲🇽

“As mulheres continuam sendo uma prioridade”, disse o presidente Andrés Manuel López Obrador na última quarta-feira, após indicar a subsecretária da Fazenda, Victoria Rodríguez, para assumir o cargo de presidente do Banco Central do país, o Banxico. Ela pode se tornar a primeira mulher a ocupar o posto, mas seu nome ainda precisa ser aprovado pelo Senado. Apesar do simbolismo da medida, a indicação causou incertezas no mercado: Rodríguez foi escolhida pelo presidente após ele retirar, sem maiores explicações, a nomeação de seu ex-secretário da Fazenda Arturo Herrera, visto como favorito para o posto, em um ato que críticos consideraram uma “traição”. Via AP.

Três investigadoras – uma perita argentina, uma advogada e uma jornalista mexicanas – denunciaram terem sido espionadas pela extinta Procuradoria-Geral da República enquanto realizavam trabalhos sobre desaparecimentos forçados. Elas haviam descoberto irregularidades nos expedientes relacionados à chacina de 196 pessoas cujos corpos foram encontrados em valas clandestinas em 2011, e passaram a ter suas mensagens, telefonemas e informações de geolocalização acessadas pelas autoridades da PGR, utilizando sistemas espiões como o Pegasus. Segundo elas, além de uma violação à liberdade de imprensa, a ação reforça que “há um crime organizado dentro do governo” para garantir a impunidade de agentes públicos. A PGR mexicana foi extinta em 2018, com suas funções absorvidas pela Promotoria Geral. Via AFP.

NICARÁGUA 🇳🇮

O Ministério do Interior divulgou um comunicado confirmando a retirada da exigência de visto para cidadãos cubanos. A medida, que marca amproximidade entre os governos, também pode ter o efeito não intencional de aumentar o número de habitantes da ilha que viajam para lá em uma tentativa de chegar aos Estados Unidos, utilizando a Nicarágua como primeira escala no processo de migração irregular por terra. No comunicado, o governo nicaraguense que a decisão foi tomada “com o objetivo de promover o comércio, o turismo e as relações familiares humanitárias”. Via AP.

PANAMÁ 🇵🇦

Um novo informe sobre a composição do PIB panamenho voltou a jogar luz sobre a desigualdade da atividade econômica do país: embora a província do Panamá (onde fica a capital) concentre 38% da população, ela também é responsável por quase 60% do PIB atualmente. A proximidade do Canal e a maior concentração de áreas urbanas ajudam a explicar o desnível, mas economistas apontam a necessidade de intervenção do governo para garantir mais crescimento no interior, já que o cenário atual acaba provocando uma grande migração interna rumo às áreas mais desenvolvidas. Na Prensa.


Un nombre:

Estadio Centenario – o palco da decisão da Libertadores neste sábado (e, a rigor, palco da maioria das decisões de Libertadores na história) tem 91 anos, mas carrega a menção a um “centenário” desde que foi erguido. O motivo é a celebração do nascimento do paisito como uma república moderna e com leis próprias: o estádio foi construído como campo principal da primeira Copa do Mundo de futebol, que o Uruguai recebeu em 1930 por ser o então bicampeão olímpico da modalidade. Naquele ano, além de sediar a versão pioneira do que viria a ser um dos torneios esportivos mais cultuados do mundo, o país também recordava os 100 anos de sua primeira Constituição – a cerimônia de juramento ocorreu em 18 de julho de 1830, e os festejos ocorreram em plena Copa, que foi disputada ao longo de julho, no Centenario, um centenário mais tarde. Por ser o maior do país, porém, muitos uruguaios se referem a ele apenas como El Estadio, reservando nomes próprios para as canchas menores.


PARAGUAI 🇵🇾

O astrólogo e guru da extrema direita brasileira Olavo de Carvalho teria passado pelo Paraguai em meio à fuga do país, que ocorreu logo após ser convocado para depor pela Polícia Federal do Brasil. Uma viagem de carro até Assunção (sem passar pela imigração ao cruzar a fronteira) e passagens compradas com dinheiro vivo para chegar aos Estados Unidos, onde mantém residência, fizeram parte do roteiro para Olavo sair de fininho, segundo revela a Folha.

Outras fugas podem ser facilitadas em breve, após os governos dos dois países acertarem a conclusão da segunda ponte na fronteira. O presidente paraguaio Mario Abdo Benítez visitou seu homólogo Jair Bolsonaro em Brasília, e o encontro de quarta-feira (24) discutiu não só o avanço da obra atual, mas também o início dos trabalhos de uma terceira ponte. Hoje, a única é a Ponte da Amizade, entre Foz do Iguaçu (PR) e Ciudad del Este. A obra em andamento conectará a mesma Foz a Presidente Franco e a futura, ainda em discussão, pretende ligar Porto Murtinho (MS) a Carmelo Peralta. Bolsonaro e Abdo também discutiram os novos termos do Tratado de Itaipu e a possibilidade de liberar o lago da usina binacional para a criação de tilápia. Na Veja.

PERU 🇵🇪

A Comissão de Relações Exteriores do Congresso declarou o ex-presidente boliviano Evo Morales como persona non grata no Peru. Durante a campanha de Pedro Castillo, Evo foi um dos líderes latino-americanos que mais demonstrou apoio ao presidente, e acabou como convidado especial de sua posse. Após a declaração, o partido governista Perú Libre repudiou o pronunciamento, e chamou o Ministério de Relações Exteriores para tomar um posicionamento mais firme em relação às posturas da comissão. No Nodal.

PORTO RICO 🇵🇷

A Receita está fechando o cerco contra medicamentos “falsificados” que entram na ilha vindos da República Dominicana. Embora legais no país vizinho, os produtos são considerados violação de propriedade intelectual pela legislação dos Estados Unidos, a quem Porto Rico está formalmente associado. Entre os comprimidos que estão sendo barrados pelas autoridades aduaneiras está um “suplemento natural para homens” conhecido como La Pepa Negra, uma cópia do Viagra. “Os produtos que violam a propriedade intelectual quase sempre vêm com uma qualidade inferior ao produto real”, alertou Jeffrey Quiñones, responsável pelo serviço de aduanas e proteção fronteiriça de Porto Rico e das Ilhas Virgens, sem explicar as possíveis diferenças. Em El Nuevo Día. 

REPÚBLICA DOMINICANA 🇩🇴

Ao menos oito pessoas morreram e outras 23 foram resgatadas com vida no naufrágio de um bote na costa leste dominicana, na madrugada de quinta-feira (25). Até o fechamento desta edição, ainda havia dez pessoas desaparecidas. De acordo com as autoridades do país, o grupo tentava emigrar de forma irregular para a vizinha Porto Rico, que fica a 102 km de distância do ponto mais próximo entre as duas ilhas. Embora a República Dominicana seja um destino de imigrantes sem documentos, vindos do Haiti (com quem faz fronteira terrestre), o país também é foco da emigração de seus próprios cidadãos para Porto Rico, onde a proximidade econômica com os EUA atrai desalentados. Na sexta-feira, o segundo episódio do tipo em dois dias: o Sistema Nacional de Emergências informou que estava tentando resgatar uma pequena embarcação com 47 pessoas que está à deriva na costa do país. No Diario Libre.

URUGUAI 🇺🇾

Após 35 anos, a Ford retornou ao Uruguai para fabricar veículos de olho em todo o mercado sul-americano. Celebrado pelo governo, o investimento encabeçado pelo empresário argentino Manuel Antelo pode gerar mil empregos diretos, e utiliza a estrutura já instalada da montadora Nordex, com capacidade de produzir até 50 mil carros anualmente. “O plano é seguir no Uruguai por muito tempo”, garantiu Daniel Justo, presidente da Ford para a América do Sul, reafirmando uma virada estratégica na região: no início deste ano, a empresa encerrou sua produção no Brasil. Em El País.

VENEZUELA 🇻🇪

Com um clima de inesperada normalidade por conta de uma discreta melhora econômica e pela participação da oposição, os venezuelanos foram às urnas no último domingo e os resultados deram vitória ao PSUV, o partido do governo, nas eleições regionais. Ainda que só 41% (de mais de 21 milhões de eleitores habilitados) tenham optado por sair de casa para votar, os que fizeram valer o direito consagraram o chavismo no governo de 20 dos 23 estados do país, além da prefeitura da capital Caracas. Os resultados foram celebrados pelo presidente Nicolás Maduro, que chamou de “produto de levar a verdade a todas as comunidades”. O processo eleitoral também teve o retorno de observadores internacionais, uma das exigências que Maduro enxerga como parte de uma solução para o fim das sanções à economia venezuelana. Segundo representantes europeus, ausentes em pleitos recentes, a votação de agora mostrou “melhores condições”, mas ainda “situações arbitrárias”. No Efecto Cocuyo

Moradores de Pacaraima, cidade roraimense que faz fronteira com a Venezuela, atacaram migrantes vindos do país vizinho e fecharam a entrada do município através da BR-174, em represália ao assassinato de um comerciante. Embora as autoridades brasileiras não tivessem divulgado a identidade ou nacionalidade dos suspeitos quando as ações começaram, a reação xenofóbica típica em crimes do tipo voltou a ser vivenciada na região. Entre os ataques contra venezuelanos, foi registrado o disparo de fogos de artifício contra pessoas no abrigo da Operação Acolhida, que presta atendimento humanitário aos refugiados. Vídeos que circularam nas redes mostraram até mesmo crianças correndo para não serem atingidas. No G1.


Gostou do nosso conteúdo? Com o seu apoio, podemos construir juntos um GIRO ainda melhor e mais completo. Faça parte!

Apoie o GIRO!


Também estamos no Twitter, Instagram, YouTube, Podcast e Telegram.

Loading more posts…